Fotografia: Nuno Cerqueira

Mais de 500 mil euros para novas empresas em zonas pesqueiras de Viana e Esposende

Apoios para a atividade económica relacionada com o sector da pesca ou o turismo aquático.

Redação / NC
8 Jan 2019

O Grupo de Ação Local (GAL) Costeiro do Litoral Norte abriu um concurso, com uma dotação financeira de 590 mil euros, para apoiar projetos empresariais em zonas pesqueiras de Viana do Castelo e Esposende, informou hoje aquele organismo.

Em comunicado, o GAL Costeiro Litoral Norte, gerido pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, explicou que a apresentação de candidaturas decorre até ao próximo dia 15 de março de 2019.

O objetivo do concurso é «promover o desenvolvimento local e a diversificação das economias das zonas pesqueiras e costeiras através do empreendedorismo, da promoção do emprego sustentável e com qualidade, da promoção da inovação social e da criação de respostas a problemas de pobreza e de exclusão social».

A iniciativa destina-se a «apoiar projetos empresariais, de pequena dimensão, que exercem regularmente uma atividade económica relacionada com o sector da pesca ou o turismo aquático», nomeadamente ao nível da valorização dos produtos da pesca, melhoria da distribuição e comercialização de produtos da pesca e aquicultura, atribuindo «uma taxa de financiamento de 50%».

O GAL Costeiro Litoral abrange 25 freguesias costeiras e estuarinas de Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença, ao longo dos 51,5 quilómetros de costa litoral e dos 30 quilómetros de curso de rio de Valença a Caminha, com um total de 98.960 habitantes, que representam 61% da população residente nos cinco concelhos.

A DLBC Costeira do Litoral Norte tem como objetivo «promover e valorizar os recursos diferenciadores do território, a sustentabilidade ambiental, o património e a cultura marítima, apoiar a competitividade, o empreendedorismo e a inovação na economia local e nas fileiras do mar, qualificar o capital humano, promover o emprego e a inclusão, reforçar o capital social e institucional, promover a visibilidade do território e a qualidade da governação local».





Notícias relacionadas


Scroll Up