Fotografia: DR

Renúncia de Artur Feio abre caminho a “terceira via” no PS de Braga

Pedro Bastos exige que o presidente demissionário «esclareça os militantes» sobre as razões da renúncia.

Alexandre Gonzaga
7 Jan 2019

A renúncia de Artur Feio ao cargo de presidente da Comissão Política Concelhia de Braga do Partido Socialista (CPC) e a posterior acusação de Jorge Faria, que considerou tratar-se de «uma manobra de diversão» para que o primeiro se mantenha no poder através de uma decisão administrativa, abriu caminho à criação de um «grupo de reflexão» liderado por Pedro Bastos.

O socialista, que saiu da CPC liderada por Artur Feio no dia 26 de abril de 2018 evocando «motivos pessoais», prefere não adiantar os nomes que compõem o grupo e opta por sublinhar que «é exigível que o presidente demissionário esclareça os militantes acerca de quais as imputações concretas quanto à sua legitimidade para dirigir a CPC, bem como qual a sua origem», numa referência ao teor do comunicado lido por Artur Feio na reunião de sábado e prontamente questionado por Jorge Faria.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up