Fotografia: Nuno Cerqueira

Roubavam máquinas industriais no Minho para vender em Amesterdão

Crimes recorriam a tecnologia informática.

Nuno Cerqueira
13 Dez 2018

Uma investigação da GNR do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da Póvoa de Lanhoso colocou fim a um esquema que terminava na venda de máquinas industriais em Amesterdão que depois seguiam para o continente africano e médio oriente.

Segundo aquelas força militar, a região do Minho, e outras localidades do Norte do país, eram alvo de furtos de máquinas industriais pesadas.

«Nomeadamente retroescavadoras», frisa a GNR, sendo que o primeiro furto foi registado em Vieira do Minho.

Segundo nota do comando territorial de Braga, o NIC da Póvoa de Lanhoso, e depois de várias buscas em Vila Nova de Famalicão e Santarém, identificou seis homens, com idades compreendidas entre os 21 e 65 anos, por furto de máquinas industriais pesadas.

«Uma investigação que decorreu durante 14 meses, foram realizadas sete buscas domiciliárias, à residência dos suspeitos e 27 não domiciliárias, nomeadamente em anexos, garagens e veículos», aponta a GNR.

Esta ação culminou na apreensão uma arma de fogo, tipo “shotgun”, dois detetores de sinais GPS/GSM, quatro comandos de alta frequência, um computador portátil, várias placas VIN (número de identificação/marca de segurança) de máquinas retroescavadoras e um detetor de metais.

A GNR apreendeu ainda droga – 30 doses de haxixe – e 28 telemóveis, assim como 32 450 euros em numerário e uma máquina de contar notas.

Nesta ação foram ainda apreendidas munições de vários calibres e diversas chaves de veículos.

Cinco dos suspeitos têm antecedentes criminais por falsificação de documentos, fraude fiscal, furto qualificado, abuso de confiança, coação e burla qualificada.





Notícias relacionadas


Scroll Up