Fotografia: DR
Universidade do Minho aumenta colocações e politécnicos perdem candidatos

Na UMinho ainda há vagas em sete cursos.

Joaquim Martins Fernandes
9 Set 2018

A Universidade do Minho (UMinho) aumentou o número de colocações na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, enquanto o Politécnico do Cávado e do Ave e o Politécnico de Viana do Castelo registaram descidas face a 2017.

A UMinho ainda tem vagas em sete cursos, nomeadamente em Proteção Civil e Gestão do Território (23), Optometria e Ciências da Visão (31), Estudos Portugueses e Lusófonos (11), Geologia (5), Engenharia Civil (3), Engenharia Têxtil (8),  e Educação Básica (24) acumulam as restantes 82 vagas que transitam para a segunda fase do Concurso de Acesso ao Ensino Superior.

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), com sede em Barcelos, preencheu, na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, 633 das 667 vagas disponíveis para o ano letivo 2018-2019.

Já no Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) a licenciatura em Engenharia do Ambiente e Geoinformática dispo- nibilizou 24 vagas para a primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, mas os números disponibiliza- dos esta madrugada pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) revelam que o novo curso lançado para Melgaço não preencheu nenhuma das vagas.

 

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]




Notícias relacionadas


Scroll Up