Fotografia: Nuno Cerqueira
Câmara avança com serviço experimental de transportes urbanos

Dois itinerários adequados às necessidades da população.

Redação / NC
7 Set 2018

A Câmara de Barcelos aprovou hoje, em reunião ordinária, a implementação de um serviço experimental de transportes urbanos.

O serviço experimental de Transportes Urbanos de Barcelos (TUBA) vai contemplar dois itinerários – linha vermelha e linha amarela – adequados às reais necessidades da população, servindo os principais aglomerados populacionais e estabelecendo ligação com os principais equipamentos da cidade.

«Estas duas linhas configuram o primeiro passo para o desenvolvimento de um sistema de transportes integrado, que, para além de servir as deslocações pendulares, irá fomentar a mobilidade para o centro da cidade. As pessoas que até agora não tinham uma alternativa disponível para as suas deslocações por motivos de lazer e compras, poderão usufruir deste serviço aos dias úteis e sábados», refere o Município em nota de imprensa.

A área de influência abrange a União de Freguesias de Barcelos, Vila Boa, Vila Frescainha (S. Martinho e S. Pedro) e as freguesias de Arcozelo, Barcelinhos e Rio Covo Santa Eugénia.

A linha amarela, com cerca de 10 quilómetros, ligará Vila Frescainha de S. Pedro a Arcozelo, passando pelo acesso pedonal do IPCA e pela Estação da CP.  A linha vermelha, com cerca de 13 quilómetros, liga o Estádio Cidade de Barcelos à freguesia de Rio Covo Santa Eugénia e à EB 2,3 Rosa Ramalho, em Barcelinhos, passando, ainda, pelas principais escolas.

É garantida uma oferta cadenciada ao longo do dia, de segunda a sexta-feira, com início às 6h40 e término às 19h30, bem como ao sábado de manhã, das 6h40 às 13h30. A linha amarela terá uma frequência de passagem em cada paragem de 40 minutos e a linha vermelha de uma hora.

Os bilhetes simples vão custar um euro e o passe mensal 20 euros, sendo que haverá desconto de 50% nos passes para pessoas com mobilidade reduzida, estudantes, reformados, pessoas com idade igual ou superior a 65 anos e menores de 13 anos. As crianças até aos quatro anos não pagam.

Segundo o Plano Nacional de Políticas de Ordenamento do Território, os principais problemas identificados são: a excessiva dependência da rodovia, o uso de automóveis privados, o insuficiente desenvolvimento de outros modos de deslocação, bem como a elevada intensidade energética e carbónica das atividades económicas e meios de transporte.

O Município de Barcelos pretende inverter essa tendência e desenvolver estratégias que visam incentivar e promover modos de deslocação alternativos ao automóvel, contribuindo assim para uma maior sustentabilidade do sistema de transportes e a descarbonização do espaço urbano, conferindo uma melhor qualidade de vida aos seus munícipes.

«Nesse sentido, a existência de uma rede de transportes públicos adequada às reais necessidades dos utilizadores constituiu uma condição essencial à garantia do desenvolvimento económico e bem-estar das populações», diz o Município de Barcelos.




Notícias relacionadas


Scroll Up