Espaço do Diário do Minho

Um carisma é um tesouro
20 Ago 2018
Maria Helena Paes

Possuir um carisma é como ter uma preciosidade de grande valor que deveremos cuidar com esmero e valorizar cada vez mais, distribuindo estes talentos que nos foram concedidos em prol do bem-estar da comunidade. Há alguns dias uma amiga partilhou comigo que tinha ido assistir a uma missa e como tinha ficado impressionada pela positiva pelo modo admirável como o leitor tinha feito a leitura do dia.

A sua voz e a sua postura, o seu tom de voz, o olhar atento e cuidado colocado no pronunciar das palavras ajudavam a captar a atenção dos fiéis, contribuindo assim para que a palavra de Deus chegasse ao seu coração. A minha amiga comentou ainda como seria bom que os leitores habituais tivessem uma formação específica que os ajudasse a fazer chegar a mensagem de um modo claro e conciso.

Esta minha amiga acrescentou que ao fazer a leitura recebem-se graças e que através de uma leitura cuidada, dando vida ao texto, distribuímos essas mesmas graças pelos outros. Fiquei a pensar no assunto durante algum tempo.

Por ironia do destino tive conhecimento de que na Igreja de S. Tomás de Aquino, em Lisboa, perto da minha casa, ia haver uma formação num sábado à tarde com o objetivo de formar os leitores. Nada acontece por acaso, tendo decidido participar na mesma, sentindo-me feliz por a paróquia se preocupar com este tema tão necessário para melhor passar a mensagem de Deus, já que qualquer um de nós pode, eventualmente, ser convidado a fazer uma leitura durante uma missa.

Então Duc in Altum, ou seja, pés a caminho, para ir participar na formação denominada ‘Oficina de Preparação Técnica do Leitor’ enquanto espaço de formação e de desenvolvimento pessoal que iria dotar-nos das competências e conhecimentos necessários no sentido de viabilizar uma melhor prática da leitura uma vez que esta constitui uma enorme responsabilidade, rentabilizando assim mais proficuamente o carisma recebido, aquando da transmissão das palavras da Verdade.

Enquanto caminhava, vieram-me à memória algumas frases de São Tomás de Aquino, que melhor se ajustavam ao momento que iria vivenciar, certamente, por me dirigir a uma paróquia com o seu nome. Referiu este santo que “O primeiro degrau para a sabedoria é a humildade” e ainda “Tenho medo de um homem de um só livro”.

Meu Deus, que grande teólogo, filósofo e padre dominicano, para que no século XIII em que viveu, já possuísse uma visão tão atual, ou seja, a constante necessidade de aprendizagem, de aquisição e de atualização de conhecimentos ao longo de toda a vida. Esta preparação técnica do leitor, contemplava entre outros os seguintes módulos: Exercícios para Relaxar o Corpo; Exercícios de Respiração; Exercícios de Voz; Exercícios de Leitura.

O formador deu ênfase de que ler é criar uma relação com as pessoas, não é só comunicar. Torna-se necessário gostar das palavras. Dar paixão. Dar intensidade. Saí feliz, em virtude de ter achado a formação enriquecedora. Obrigada, São Tomás de Aquino, para, depois de tantos séculos, me facultares a possibilidade de participar numa formação tão necessária e útil.



Mais de Maria Helena Paes

Maria Helena Paes - 31 Ago 2019

O período de férias programado aproximava-se mais lentamente do que gostaria face à ansiedade da minha neta por partir. Mas a vida tem destas coisas. Uma semana antes da data programada, alguns problemas de saúde retardaram a partida. Depois de ter percorrido alguns quilómetros ouvi a minha neta, sentada na sua cadeira, na traseira do […]

Maria Helena Paes - 23 Ago 2019

A eterna dualidade. O sentimento de que não nos encontramos, na maioria dos casos, a fazer o que gostamos de realizar habitualmente. Torna-se necessário optar. Na semana passada foi dia dos avós, dia de Santa Ana e de São Joaquim, pais de Maria, mãe de Jesus, padroeiros dos avós. Estava com a minha neta de […]

Maria Helena Paes - 18 Ago 2019

Há alguns dias uma amiga sugeriu-me que escrevesse um artigo sobre Santa Helena, a santa do meu nome, talvez por isso mesmo, por ser portadora do seu nome. Recuei à minha infância. Recordei a minha avó Isabel, que sugeria o nome que os seus netos deveriam ter, sempre antecedido de Maria. Eu era a mais […]


Scroll Up