Fotografia: DR
Cientista da UMinho recebe um milhão de euros para investigar complicações pulmonares

Agostinho Carvalho faz parte do ICVS da Escola de Medicina da Universidade do Minho.

Redação
1 Ago 2018

Agostinho Carvalho, do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da Universidade do Minho, foi distinguido com uma bolsa de um milhão de euros, no primeiro concurso da “Iniciativa Ibérica de Investigação e Inovação Biomédica, i4b”, promovido pela Fundação “la Caixa” a pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

Com esta verba milionária a equipa liderada por Agostinho Carvalho pretende identificar novos biomarcadores que mostrem a suscetibilidade das pessoas com doença pulmonar obstrutiva crónica para desenvolverem uma reação alérgica ao fungo Aspergillus, que existe no ar que respiramos.

O cientista procura melhorar a prevenção, identificação e tratamento desta doença através de estratégias de medicina de precisão, ao mesmo tempo que pretende recuperar a qualidade de vida dos doentes.

«A aspergilose pulmonar crónica apresenta uma mortalidade elevada devido à inexistência de terapias antifúngicas adequadas. Afeta milhares de doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica todos os anos em Portugal e mais de 250 milhões em todo o mundo», afirma o investigador galardoado.

Este concurso da Fundação “la Caixa” a da FCT teve 785 candidaturas e vinte premiados, sendo oito de Portugal, que receberam cinco milhões de euros no total. O projeto de Agostinho Carvalho conseguiu o financiamento máximo disponibilizado neste concurso por ter um caráter transdisciplinar.




Notícias relacionadas


Scroll Up