Fotografia: DR

João Macedo conquistou o 30º Grande Prémio do Minho

Vieira do Minho consagrou hoje João Macedo como o grande vencedor da 30ª edição do Grande Prémio do Minho.

Redação
8 Jul 2018

O jovem corredor da Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense, João Macedo, aproveitou a descida após a única contagem de montanha da terceira etapa para se isolar e rumar em solitário para a vitória da competição apadrinhada pelos internacionais portugueses Tiago Machado, José Mendes, Domingos e José Gonçalves.

Apesar de estar a 38 segundos do líder da classificação geral no arranque da tirada final, João Macedo saltou para forçar o andamento do grupo do camisola amarela, tentando desgastar o líder, uma vez que o seu colega de equipa estava com o mesmo tempo do homem do Seissa.

A fuga esteve perto de terminar quando o grupo do líder encurtou a diferença para apenas cinco segundos, só que João Macedo continuou a acreditar que conseguia vingar a escapada e levou o seu barco a bom porto, atracando a bicicleta bem no centro de Vieira do Minho, carregando consigo o tempo necessário para se guindar ao lugar mais alto da classificação geral.

O pódio final do 30º Grande Prémio do Minho ficou composto da seguinte forma: primeiro João Macedo, na segunda posição Pedro Pinto (Silva e Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) e Diogo Barbosa (Vito-Feirense/Blackjack) ocupou o último degrau.

As camisolas em disputa foram envergadas no pódio de consagração por João Macedo, camisola amarela CJR e laranja Cision, João Afonso, camisola verde Controlsafe, Pedro Andrade, camisola azul Arrecadações da Quintã, e Pedro Silva, camisola branca Universidade do Minho.

Por equipas venceu a formação da Vila da Feira, Vito-Feirense/Blackjack, que na última etapa destronou a formação minhota do Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact, ficando o pódio completo com as formações da Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense e da Tensai/Sambiental/Santa Marta.

A apreciação global de todos os participantes nesta edição da “Volta ao Minho” foi unânime ao considerar uma prova dura mas bem estruturada, que permite aos jovens adquirir novas experiências em estradas exigentes como as minhotas.

O balanço da Associação de Ciclismo do Minho (ACM) no final de mais uma edição não deixa margens para dúvidas de que pela frente virá mais e melhor. O presidente da ACM, José Luís Ribeiro, deixou bem clara a satisfação de toda a organização.

«O 30º Grande Prémio foi um enorme êxito desportivo e organizativo, provavelmente das melhores provas nacionais e internacionais de ciclismo organizadas para o escalão de juniores. Não somos nós, Associação de Ciclismo do Minho, que o dizemos. São as equipas, os patrocinadores e os atletas, aqueles que são a essência e o foco principal do desporto. Tivemos um pelotão de grande qualidade que proporcionou um excelente espetáculo desportivo com emoção e competitividade até ao último instante da prova», disse.





Notícias relacionadas


Scroll Up