Fotografia: DR

Menção honrosa reconhece vida de Monsenhor Silva Araújo

Curriculum vitae do Monsenhor Silva Araújo foi crucial para a distinção.

Alexandre Gonzaga
3 Jul 2018

O ex-diretor do Diário do Minho, monsenhor Domingos da Silva Araújo, recebe hoje, em Lisboa, uma menção honrosa exaequo relativa aos prémios Nunes Correa Verdades de Faria, que distinguem as personalidades que se destacaram no cuidado e carinho dispensados aos idosos desprotegidos, no progresso da medicina na sua aplicação às pessoas idosas e no progresso no tratamento das doenças do coração.

O clérigo bracarense é reconhecido pela Santa Casa de Misericórdia (SCM) de Lisboa relativamente ao primeiro aspeto – o cuidado e carinho dispensados aos idosos desprotegidos –, numa candidatura elaborada pela congénere de Braga, que se baseou no seu curriculum vitae.

Em março, o Monsenhor Silva Araújo foi homenageado em Braga, numa iniciativa conjunta do Diário do Minho, Irmandade de Nossa Senhora das Dores e de Santa Ana dos Congregados e SCM local. Entre as diversas frases ditas na distinção, sublinhe-se «um príncipe do jornalismo», «sacerdote exemplar», «homem íntegro ou inteiro» e um «exemplo de cidadania».

Reconhecido como um dos últimos grandes beneméritos portugueses, Enrique Mantero Belard, doou à data do seu falecimento (1974) uma parte significativa dos seus bens à SCM de Lisboa. No testamento onde explicitava a sua benemerência, incumbiu à SCM a obrigação de atribuir os três prémios. Estes destinam-se a galardoar os indivíduos (de qualquer nacionalidade) que, em Portugal, mais tenham contribuído pelo seu esforço, trabalho ou estudos, para cada uma das áreas citadas anteriormente.

O prazo de apresentação de candidaturas terminou no dia 28 de fevereiro. Presidido pelo provedor da SCM de Lisboa, o júri é consituído por personalidades de créditos firmados nas áreas da segurança social e da saúde.





Notícias relacionadas


Scroll Up