Espaço do Diário do Minho

Publicidade a crédito
1 Jul 2018
ANA SOFIA AGUIAR

Todos os dias os consumidores são confrontados com mensagens publicitárias sobre crédito através de vários meios de comunicação. 

Uma das funções da publicidade é informar sobre os produtos e serviços que se encontram à disposição no mercado bem como induzir o consumidor a adquiri-los. A publicidade tem uma influência determinante no poder de escolha do consumidor e, como tal, deve obedecer a princípios gerais de transparência e rigor, para que o consumidor possa comparar adequadamente as alternativas disponíveis.

A publicidade de produtos e serviços financeiros deve ser:

Transparente – Não é permitida a omissão de informação necessária à correta avaliação das caraterísticas destacadas dos produtos e serviços financeiros;

Equilibrada – As informações sobre condições de acesso, restrições ou outras limitações, consideradas necessárias, em cada caso, para que o consumidor possa avaliar corretamente as caraterísticas que as instituições de crédito destacam na publicidade, devem ter um destaque similar ao dessas caraterísticas;

Identificável – Deve ser inequívoca a identidade da instituição de crédito responsável pelos produtos ou serviços financeiros anunciados na publicidade;

Verdadeira – A informação apresentada pelas instituições de crédito na publicidade aos seus produtos ou serviços financeiros deve respeitar a verdade, não deformando os factos.

De salientar que existem regras específicas para cada produto, por exemplo no crédito aos consumidores, as instituições de crédito devem:

– Indicar a correspondente taxa anual de encargos efetiva global (TAEG) com destaque similar ao das caraterísticas destacadas daqueles produtos;

– Apresentar um exem-
plo representativo que inclua, pelo menos, o montante do crédito, o prazo de reembolso, a taxa anual nominal (no caso de taxa fixa), ou o indexante e o spread (no caso de taxa variável);

– Calcular o indexante, pelo menos no início da campanha publicitária e sempre que a mesma seja retomada, após interrupção, com indicação do mês a que se refere;

No caso de a publicidade anunciar um crédito aos consumidores com prestações constantes, indicar, com destaque similar, os seguintes elementos:

– O prazo de reembolso do empréstimo;

– Montante de finan-
ciamento.

O Gabinete de Proteção Financeira da DECO existe para o ajudar neste e noutras questões. Poderá contactar o mesmo através do email gas@deco.pt ou deco.minho@deco.pt, presencialmente na Avenida Batalhão Caçadores 9 em Viana do Castelo ou ainda para o 258 821 083.



Mais de ANA SOFIA AGUIAR

Ana Sofia Aguiar - 7 Out 2019

Desde 14 de setembro, os clientes com cadernetas bancárias deixaram de poder usá-las para fazer levantamentos de dinheiro. A Caixa Geral de Depósitos (CGD), o Montepio e o Crédito Agrícola irão facultar cartões de débito aos clientes. No caso da CGD, a primeira anuidade é gratuita. Fazer transferências bancárias com caderneta eletrónica também deixará de […]

Ana Sofia Aguiar - 23 Set 2019

De facto, a entrega da casa é uma forma de extinguir o crédito à habitação. Contudo, tem a condicionante de estar sujeita à aceitação do Banco que pode, sem carecer de qualquer justificação, recusar a dação do imóvel hipotecado. Em termos de procedimento, a dação será precedida de um pedido do(s) titular(es) do empréstimo dirigido […]

Ana Sofia Aguiar - 9 Set 2019

A DECO vem informar todos os consumidores sobre a nova lei que permite multar quem atirar beatas para o chão. Assim, saiba que atirar pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros contendo produtos de tabaco para o chão de espaços públicos implica o pagamento de coimas. Segundo a lei, como passam a ser equiparados a […]


Scroll Up