Fotografia: GNR

Turco e búlgaro dizem que são «agricultores» e não sabem quem é o dono de 250 mil euros em canábis

Estupefaciente avaliado em mais de 250 mil euros.

Nuno Cerqueira
28 Mai 2018

Com tecnologia de ponta, dois indivíduos, um de nacionalidade turca e outra búlgara, estão a ser julgados em Guimarães por serem, alegadamente, os responsáveis pela produção “industrial” de canábis em estufas localizadas nos concelhos de Famalicão e Matosinhos.

Os 5500 pés de canábis estão avaliados em 250 mil euros, mas os suspeitos, de 40 e 43 anos, disseram agora em tribunal que são «agricultores» e que não conhecem o patrão.

O caso foi desvendado pela GNR de Barcelos, através do Núcleo de Investigação Criminal, sendo que a produção de droga tinha como destino final a Holanda, de onde seria o alegado cabecilha.

No tribunal os suspeitos, que estão em prisão preventiva, mostraram arrependimento e «juram a pés juntos» que são trabalhadores agrícolas.

Recorde-se que os militares caçaram os dois suspeitos quando saiam numa carrinha térmica de um dos armazéns de droga em Ribeirão em junho do ano passado.





Notícias relacionadas


Scroll Up