Fotografia: Alexandre Gonzaga
Arcebispo contra a «anarquia moral» e a favor da «autêntica cultura» portuguesa

D. Jorge Ortiga presidiu à missa campal que reuniu cerca de 40 mil peregrinos em Laúndos.

Alexandre Gonzaga
27 Mai 2018

O Arcebispo Primaz lembrou hoje, em Laúndos, que os cristãos não são «escravos dos preceitos», apesar da identidade cristã também «passar por aceitar uma doutrina e cumprir os seus valores».

Na homilia que proferiu na missa campal da 72.ª peregrinação do arciprestado de Vila do Conde/Póvoa de Varzim à Senhora da Saúde, D. Jorge Ortiga referiu que, «em tempos de anarquia moral», é missão do cristão realizar «um  trabalho junto dos outros para levar a reconhecer que a felicidade não passa por um subjetivismo moral onde cada um faz o que quer».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]




Notícias relacionadas


Scroll Up