Fotografia: DR

MP acusa de peculato um solicitador de execução

Âmbito de um processo com termos corridos no juízo de execução de Guimarães.

Redação
22 Mai 2018

O Ministério Público (MP) de Braga acusou de peculato um solicitador de execução que se terá apropriado de 105 mil euros no âmbito de um processo que correu termos em Guimarães, divulgou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto (PGDP).

Em nota publicada no site, a PGDP refere que o MP «considerou indiciado que o arguido, em 2012, no âmbito de um processo com termos corridos no juízo de execução de Guimarães, em que exercia as funções de solicitador de execução, fez sua a quantia de 105 mil euros».

Acrescenta que essa quantia fora depositada por um interveniente que exercera direito de remição. Diz ainda que o arguido não entregou esse dinheiro «a quem devia, nomeadamente ao exequente».





Notícias relacionadas


Scroll Up