Fotografia: Nuno Cerqueira
Mesquita e Salvador acusados de “prevaricação” no caso dos parquímetros em Braga

Mesquita Machado diz-se «tranquilo», já António Salvador «não fala» sobre o assunto.

Redação
15 Mai 2018

O ex-presidente da Câmara de Braga Mesquita Machado e o dono da BRITALAR, António Salvador, viram o Ministério Público (MP) lançar uma acusação aos dois de «crime de prevaricação, na concessão dos lugares de estacionamento pago à superfície.

Constituídos arguido, o MP diz que os arguidos atuaram «em conjugação de esforços e na sequência de acordo previamente firmado, visando, com as suas condutas consertadas, o favorecimento, no contexto do concurso público (…) das concorrente BRITALAR SA» tendo para isso o antigo presidente da Câmara socialista o agido «em desconformidade (…) e em violação das peças procedimentais deste concurso e das normas legais aplicáveis».

A Lusa já confrontou com a acusação do MP Mesquita Machado que referiu estar «de consciência tranquila».

«Fiquei surpreso, acho até caricato, mas estou de consciência tranquila», sublinhou.

António Salvador, também presidente do SC Braga, não quis prestar declarações.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]




Notícias relacionadas


Scroll Up