Fotografia: António Silva

D. Jorge pede aos finalistas que ajudem a construir um mundo melhor

O Arcebispo de Braga celebrou ontem a missa da bênção dos finalistas das universidades minhotas, que decorreu na avenida Central.

Francisco de Assis
13 Mai 2018

Jorge Ortiga aproveitou ontem o palco e as circunstâncias privilegiadas que foi o mar de juventude, seus familiares e amigos para deixar palavras de esperança, mas também pedir compromisso aos jovens que acabaram o curso no sentido de ajudarem a construir um mundo com maior justiça social, mais humano e eticamente melhor.

Na avenida Central, onde decorreu a eucaristia e bênção de finalistas, o Arcebispo de Braga deu conta ainda da dispobilidade da Igreja de Braga em ajudar os estudantes naquilo que for necessário. 

Na homilia, D. Jorge fez saber aos finalistas o quanto valoriza o significado do dia de ontem, o fim da licenciatura. E, compreendendo a realidade «confusa» que a sociedade vive, decidiu convocar toda a Arquidiocese de Braga para a «espantosa tarefa de despertar a esperança.

A esperança é uma palavra emblemática mas muito pouco compreendida. Sei que o término do vosso curso representa a esperança de prosseguir uma profissão que dignifique a vossa vida e crie condições para iniciar um novo projeto familiar.

Importa, contudo, ir mais longe e reconhecer as verdadeiras exigências que a esperança desperta. 

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up