Espaço do Diário do Minho

A verdade anda perdida e confusa
23 Abr 2018
Carlos Aguiar Gomes

Vivemos (eu, pelo menos!) uma época de caos informativo. Torrentes de notícias chegam-nos a todo o momento. E um pobre leitor como eu, fica baralhado. Já perdeu ou está a caminho de perder o sentido da hierarquia das notícias, que quase sempre deixaram de ser factos para serem análises noticiosas profundamente inquinadas.

Vem esta minha preocupação a propósito doa graves acontecimentos que estão a ocorrer na Síria desde há alguns anos e ampliados agora com a atitude dos EUA, Reino Unido e França. A informação que temos e nos é impingida pelos autores desta recente agressão, de cuja bondade eu desconfio, deixa-me confuso. Não acredito no que me “vendem”. Ou, pelo menos, não creio em tudo o que vejo e oiço. Lembro-me, a propósito, da intoxicação preparatória do derrube do facínora Hussein do Iraque (Lembram-se da estória mal contada das famigeradas armas químicas?) e do que ficou e está hoje no Iraque, bem pior do que o que lá estava! Lembro-me da “Primavera árabe” prometida, por exemplo, para derrubar um tirano e louco chamado Kadafi, da Líbia, para quem e a quem a Europa (Portugal incluído) pouco tempo antes pôs debaixo dos seus pés banhados de sangue tapetes vermelhos, mas que, assassinado com crueldade, deixou um “não-país” em guerra, sem Governo e corredor  escancarado de vagas de imigrantes clandestinos para a Europa.

Sinto-me intoxicado!

Sinto-me num campo de concentração sem liberdade!

…Sem a liberdade de poder fazer o meu raciocínio sobre o que se está a passar neste mundo que se tornou num” sítio mal frequentado”. Muito mal frequentado. Onde impera a manipulação das mentes  por  “fazedores de opinião” servidores do pensamento único e dirigido, encurralante.

Para ser um pouco contra a corrente dominante, peço, encarecidamente aos meus leitores que leiam rapidamente a “DECLARAÇÃO CONJUNTA DOS PATRIARCAS GRECO-ORTODOXO; SÍRIACO- ORTODOXO e GRECO- MELQUITA CATÓLICO DE ANTIOQUIA E DE TODO O ORIENTE”, a propósito dos últimos acontecimentos ocorridos na Síria, na página do facebook : Assyro-chaldéen l’histoire continue, do passado dia 14 de Abril.

Como dizem estas autoridades religiosas sírias“Esta agressão brutal destrói as oportunidades de uma solução política pacífica e arrasta uma escalada da violência e de mais complicações “(Ponto 5.) ou “Apelamos a todas as Igrejas dos países que participaram nestes ataques, a desempenharem os seus deveres cristãos, segundo o ensinamento do Evangelho, a condenar esta agressão e a a apelar aos seus governos para se comprometerem na protecção da paz internacional “(Ponto 8.).

Caros leitores: leiam  e leiam já e bem esta Declaração que  nos ajuda a ver a situação da Síria  por outro prisma. Sobretudo porque dimana de autoridades religiosas sírias que se mostram preocupadas com o bem e a paz do seu povo cristão ou não. E como cristãos, são pacificadores e não pacifistas!

Dou graças  a Deus por nos ter dado estes Patriarcas sírios!

(O autor não acata o chamado AO)



Mais de Carlos Aguiar Gomes

Carlos Aguiar Gomes - 19 Jun 2019

O título deste artigo, “roubei-o” a Miguel Sousa Tavares, em determinada entrevista que, não há muito, deu num órgão de comunicação social. Referia-se aos “animalistas” e afins que colocaram um deputado em Bruxelas. E, como achei interessante e irónica a expressão para designar essa gente, fui buscá-la para lamentar profundamente o que ouvi e li […]

Carlos Aguiar Gomes - 13 Jun 2019

Depois de ver o “maremoto” que causou uma infografia que a Federação Portuguesa pela Vida preparou e o Patriarcado de Lisboa usou, com o fim de compaginar o que pensam os Partidos políticos portugueses que concorreram às últimas eleições, com a Doutrina Social da Igreja, de sempre, sobre temas vitais, dei comigo, depois de saber […]

Carlos Aguiar Gomes - 25 Mai 2019

A 8 dias do «Dia Mundial das Comunicações Sociais», gostaria de trazer para os leitores o essencial do que o Papa Francisco disse aos «Membros da Associação de Imprensa Estrangeira em Itália», no passado dia 18. Foi um discurso muito rico e profundo de ensinamentos. Sublinhou o papel fundamental e mesmo indispensável dos jornalistas. Mas […]


Scroll Up