Fotografia: Rui de Lemos

Fafe distingue voluntários que salvam vidas da guerra

O Encontro Internacional de Causas e Valores da Humanidade “Terra Justa”, em Fafe, iniciou, ontem, a quarta edição com uma homenagem aos Capacetes Brancos. A organização de voluntários já salvou 114 mil pessoas dos cenários de guerra na Síria.

Rui de Lemos
18 Abr 2018

O que leva um dentista e um professor de matemática a abandonarem as profissões para passar a trabalhar debaixo de bombas por pouco mais de 120 euros mensais? A resposta é a guerra na Síria, que já dura há 7 anos e já fez desaparecer 200 mil pessoas.
Quando rebentou o conflíto sírio, Nedal Izdden e Ahmad Yousef tinham duas possibilidades: «a primeira opção era calar e deixar andar, abandonar o país e fugir. A segunda era pegar numa arma e começar a matar pessoas, algo que simplesmente não conseguia». Ambos acabaram por escolher a terceira opção. «Escolhi uma missão humanitária para ajudar os outros e para salvar vidas em cenários de guerra», explicou Nedal Izdden, um dos fundadores e diretores dos Capacetes Brancos (White Helmets), ontem, em Fafe.

 

Leia mais na edição impressa.





Notícias relacionadas


Scroll Up