Espaço do Diário do Minho

Prevenção de acidentes no primeiro ano de vida
13 Jan 2018
André Filipe B. Fernandes

Os acidentes infantis são uma importante causa de morbimortalidade no mundo, constituindo um grave problema de saúde pública, com implicações na vida pessoal e familiar das vítimas.

As crianças são particularmente vulneráveis aos acidentes, pela sua incapacidade para avaliar o perigo. Durante o primeiro ano de vida as principais causas de acidentes são: quedas, asfixia, afogamento, queimaduras e intoxicações. Garantir um ambiente seguro passa na maioria das vezes pela adoção de um conjunto de medidas, muitas delas de simples execução.

No carro, transporte o bebé numa cadeira própria (devidamente homologada, adequada ao peso e tamanho), voltada para trás, preferencialmente no banco de trás (num lugar sem airbag) e instalada de forma correta.

Para evitar queimaduras, verifique sempre a temperatura da água do banho (comece por deitar a água fria e só depois a quente). Se der leite por biberão, verifique sempre a temperatura entornando uma gota no seu pulso.

Desde muito cedo, a criança consegue virar-se. Para evitar quedas, nunca a deixe sozinha em cima de uma mesa, sofá ou cama. A cama do bebé deve ser estável e sólida, devendo as grades ter pelo menos 60 cm de altura e aberturas inferiores a 6 cm. Não deve usar almofadas ou deixar brinquedos na cama. O bebé deve dormir na própria cama, deitado de costas, sempre de barriga para cima, para evitar asfixia.

Os brinquedos devem ser macios, sem arestas, facilmente laváveis e suficientemente grandes para não serem engolidos. Deve evitar objetos com partes soltas ou destacáveis, como fios ou pulseiras, pois podem sufocar a criança.

Quando introduzir as papas e o puré de legumes ou fruta, não deve deixar pedaços por passar, pelo perigo de engasgamento.

Por volta dos 6/7 meses a criança começa a sentar-se sozinha, podendo depois começar a gatinhar e a caminhar por volta dos 12/13 meses. Os perigos aumentam e a atenção deve ser redobrada. Proteja as tomadas, as esquinas dos móveis, as lareiras ou fontes de calor, as escadas, varandas ou terraços. Tenha atenção aos objetos espalhados pela casa, aos medicamentos, produtos químicos e de limpeza, instrumentos cortantes ou sacos de plástico, deixando-os em locais fora do alcance da criança.

Não deixe banheiras ou recipientes com água, lembre-se que basta meio palmo de água para a criança se afogar! Tenha cuidado com as piscinas! Evite as horas de maior exposição solar!

Na compra do carrinho, verifique se é estável e se o sistema de travagem é eficaz. Nunca se esqueça de apertar o cinto de segurança e de o travar quando parar. Evite usar “aranhas” ou ”voadores”, pois podem provocar acidentes e não ajudam a criança a andar.

No caso de acidente esteja preparado para agir. Tenha na sua agenda os números de emergência e aprenda o básico dos primeiros socorros. Ao conhecer os riscos, os cuidadores poderão atuar no sentido de minimizar e prevenir potenciais acidentes, permitindo assim que a criança cresça em segurança.



Mais de André Filipe B. Fernandes


Scroll Up