Fotografia: Ana Marques Pinheiro

2017 foi o ano com o maior número de apreensões de obras de arte

De 2012 a este ano foram detidas, a nível nacional, 11 pessoas por crimes relacionados com furto de arte sacra.

Redação/LUSA
17 Dez 2017

Uma pequena brigada da Unidade Territorial do Norte da Polícia Judiciária apreendeu um total de 427 obras de arte nos últimos quatro anos, destacando-se moedas romanas do tempo de Jesus Cristo e pinturas falsas de Almada Negreiros.

Só este ano de 2017 apreenderam-se “126 pinturas falsas e 19 objetos arqueológicos”, informou o coordenador da secção que investiga os crimes de Incêndio, Tráfico e Viciação de veículos e o Furto e Falsificação de Obras de Arte (SICPVS).

Entre 2013 e 2017, a brigada da Polícia Judiciária do Norte apreendeu 427 obras de arte, entre arte militária, arte sacra, esculturas e objetos arqueológicos, e pinturas de diversos artistas, designadamente obras falsas de Almada Negreiros e de Aurélia de Sousa, mas também peças de José Guimarães e do norte-americano Sam Francis.





Notícias relacionadas


Scroll Up