Fotografia: DR
Madeireiros condenados pelo corte de 3280 árvores

A situação ocorreu na freguesia de Valdozende, no lugar Vilar a Monte.

Nuno Cerqueira
23 Out 2017

Dois indivíduos, madeireiros, foram condenados a pagar 80 mil euros pelo corte ilegal de 3280 árvores no concelho de Terras de Bouro. O crime, agora julgado, remonta a caso de desobediência a dois embargos judiciais.

A situação ocorreu na freguesia de Valdozende, no lugar Vilar a Monte.

Os arguidos argumentaram que o conselho de baldios de Assento e Paradela (entretanto criado e que reivindica ter substítuido o de Vilar a Monte) lhe deu autorização e garantia de ter a posse dos terrenos para ordenar o corte. Situação que o Tribunal rejeitou.




Notícias relacionadas


Scroll Up