Espaço do Diário do Minho

A “melhoria” que tarda
7 Jun 2017
Narciso Mendes

Num programa de rádio em que se debatia a educação no país, memorizei uma história contada, salvo erro, por um psicólogo como exemplo do contributo que cada um de nós poderá dar ao bem comum. Os animais ao verem a floresta em chamas tiveram de a abandonar, resolvendo atravessar o rio para a outra margem. Decidindo, para o efeito, formarem-se em fila indiana. Seguindo à frente do elefante um colibri que apanhava algumas gotas de água, indo despejá-las no fogo.



Mais de Narciso Mendes

Narciso Mendes - 12 Nov 2018

Cada um procura desabafar à sua maneira. Mas uma coisa é certa, já tenho ouvido muito ateu e agnóstico a dizer: valha-me Nossa Senhora; ou sempre que rejeita aceitar algo: Deus me livre; e, ainda, quando o sofrimento é relevante: Ai minha Nossa Senhora! São frases que estão intrinsecamente ligadas ao nosso vocabulário do dia-a-dia, […]

Narciso Mendes - 5 Nov 2018

Aquilo que no seu início parecia ser uma grande máquina, rápida no entendimento e na ação, cortando curvas e contracurvas, à esquerda e à direita, mas com atenção às linhas contínuas e sinais vermelhos impostos pela União Europeia, eis que começa a surgir algum ziguezaguear da “geringonça” puxada pelo Governo do Partido Socialista e pilotada […]

Narciso Mendes - 29 Out 2018

De olhos cansados, boca apertada e semblante cerrado, carregando as agruras de uma vida que já conta mais de oitenta agostos, pois era o mês em que fazia anos, o Ramiro era visto diariamente a percorrer a calçada da rua que o levava, em plena cidade, a sua casa. A bengalita que procurava segurar na […]


Scroll Up