Fotografia:
O vergonhoso Serviço Público da RTP!

Entre as 14h14m e as 15h49m foi para o ar um programa intitulado “Conversa de gente grande”, adaptação do programa argentino “Agrandadytos”, trazido pela Eyeworks e que no Brasil foi exibido pela rede Bandeirantes. A RTP classifica este programa como sendo de entretenimento descontraído e divertido para toda a família e pretende pôr crianças a conversar, entrevistar e participar em situações em que são tratadas não de uma forma infantil mas sim como “gente grande”. Até aqui tudo bem, o que está mal é o tipo de perguntas que são colocadas às crianças, cuja idade não ultrapassa os 9 anos.

José Aníbal Marinho Gomes
4 Jan 2014

Ouvi duas perguntas e nem queria acreditar no que acabava de escutar.
A primeira foi se concordavam com o casamento entre pessoas do mesmo sexo e uma outra era sobre se preferiam ter dois pais ou duas mães. Não ouvi mais!
Peguei no telefone e comecei a ligar para RTP no sentido de apresentar o meu protesto, não pelo programa em si, mas pelo tipo de perguntas que eram feitas a crianças com esta faixa etária. Não tive sucesso uma vez que o serviço de relações públicas estava encerrado, pelo que só depois poderia apresentar verbalmente o meu mais veemente protesto. No entanto, vou fazê-lo mesmo via e-mail.
Como é possível que uma televisão paga com o meu dinheiro transmita programas com um objectivo bem determinado, que passa por influenciar crianças, fazendo-lhes crer que a homossexualidade é “o normal” numa sociedade, assim como é normal o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo?
Relativamente ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, já me pronunciei várias vezes no jornal “O Povo do Lima”, pelo que não vou repetir aquilo que já disse. No entanto, antes que seja acusado de homofóbico, volto a realçar que nada tenho contra quem é homossexual, mas tão-somente que não concordo que quando duas pessoas do mesmo sexo pretendam estabelecer um vínculo entre si, esse mesmo vínculo tenha a designação de casamento, uma vez que esta, é em meu entender, privativa dos casais heterossexuais.
Se são estes os valores que a televisão pública pretende transmitir às nossas crianças estamos conversados…
Não compete a um canal público de televisão influenciar crianças numa idade em que ainda estão a formar a sua personalidade.
Por isso, apelo a todos os pais que estejam com muita atenção aos programas que são transmitidos pela RTP, antes de permitirem que os seus filhos assistam aos mesmos.
A nossa sociedade pensa estar a evoluir, mas na verdade está a “involuir”, pois vive uma realidade interna que é a da auto-destruição de determinados valores e de princípios éticos e morais.
E assim começa bem o Ano na RTP, nesta república das bananas.




Notícias relacionadas


Scroll Up