Fotografia:
Inverno e gripe, combinação (im)perfeita

O dia 21 de dezembro aproxima-se, e consigo o solstício de inverno, que assinala a noite mais longa do ano. A inclinação do eixo de rotação da Terra faz com que o “nosso” hemisfério norte esteja menos quente, pois nesta época do ano é o hemisfério sul do planeta que está mais inclinado para o Sol. Por esta altura os dias ficam mais curtos e frios, e com eles vem em força (oh se vem!) a gripe. Alguma vez se perguntou por que razão a gripe é mais frequente no inverno? A gripe é uma infeção aguda do trato respiratório provocada por um vírus chamado Influenza. Ao entrar no nosso organismo, através do nariz ou da boca, invade as vias respiratórias, como a garganta e os pulmões, e inicia o seu período de incubação.

Marina da Costa Maciel
4 Dez 2013

Apesar de ser uma simples partícula esférica, 100 000 vezes menor que um milímetro, o vírus Influenza é capaz de enfraquecer a nossa saúde! Se se sentir febril (com temperatura acima dos 38 °C), cansado, tiver dor de cabeça, tosse seca e garganta irritada, congestão nasal e fortes dores musculares, é muito provável que esteja engripado.
Não há uma explicação unânime para a presença assídua da gripe durante o inverno. Contudo, os especialistas acreditam que as temperaturas baixas e a menor intensidade da radiação ultravioleta, proveniente do Sol, tornam o vírus mais resistente. Ao mesmo tempo, o frio leva as pessoas a juntarem-se mais em espaços fechados e pouco ventilados. Estas condições são suficientes para que haja maior transmissão do vírus no inverno do que no verão.
O problema da gripe é que o vírus Influenza ataca pela calada: só damos conta da sua presença entre um a quatro dias após o contágio. Qualquer pessoa pode ser afetada, mas há grupos mais vulneráveis. Pessoas idosas, pessoas com doenças crónicas (diabetes, asma, por exemplo) e profissionais de saúde, são os casos em que a doença constitui uma ameaça mais severa.
Nestes grupos de risco a vacinação é prioritária. Mas atenção! Vacinar-se uma vez apenas, não lhe dá proteção vitalícia! O vírus Influenza tem a particularidade de estar em constante mudança… Imagine uma porta à qual se trocou a fechadura: a porta continua a ser a mesma, mas a chave terá que ser diferente. Com este vírus, acontece algo semelhante. A vacina feita para 2013 não será eficaz em 2014 porque o vírus tem a capacidade de se modificar. O “novo” vírus já não é reconhecido pela vacina do ano anterior. Há por isso necessidade de vacinação anual, idealmente durante o mês de outubro já que o pico da doença ocorre entre dezembro e março.
Os primeiros sinais do inverno já se sentem. Cuidado! O vírus da gripe anda à solta. O nosso conselho é bem popular: “Avinhe-se, abife-se e abafe-se”, isto é, ingira bastantes líquidos, alimente-se bem e agasalhe-se. Se faz parte dos grupos de risco, não se esqueça da vacina!




Notícias relacionadas


Scroll Up