Fotografia:
Ano Litúrgico

1 A solenidade de Cristo Rei, que se celebra domingo, assinala o fim do ano litúrgico. Assim como, além do ano civil, existem o ano judicial, o ano parlamentar, o ano escolar, há também, na liturgia da Igreja, o ano litúrgico. É um período ao longo do qual se recorda todo o Mistério de Cristo, desde a Encarnação e Natal até à Ascensão, Pentecostes e expetativa da Sua vinda gloriosa no fim dos tempos. Vai desde o quarto domingo antes do Natal até ao sábado a seguir à solenidade de Cristo-Rei. Possui três tempos que enumero por ordem da importância: tríduo pascal, com o tempo pascal e a quaresma; natal e advento; tempo comum. 

Silva Araújo
21 Nov 2013

2. O ponto culminante do Mistério de Cristo é a Sua Morte e Ressurreição. Por isso há uma festa especial para o comemorar: a Páscoa, que ocupa o primeiro lugar no ano litúrgico.
O Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor inicia-se com a Missa da Ceia do Senhor, na Quinta-Feira Santa. Tem o seu centro na Vigília Pascal e termina nas Vésperas do domingo da Ressurreição.
Os cinquenta dias que se prolongam desde o domingo da Ressurreição até ao domingo de Pentecostes celebram-se na alegria e exultação como um único dia de festa, melhor, como «um grande domingo».
O Tempo Pascal tem um período de preparação chamado Quaresma. Vai desde a Quarta-Feira de Cinzas até à Missa da Ceia do Senhor, exclusive.
Além disso, o mistério da Morte e Ressurreição de Jesus comemora-se também em cada domingo. Por isso este ocupa igualmente um lugar primordial ao longo de todo o ano litúrgico. É o Dia do Senhor.
 
3. O ano litúrgico principia com a celebração da Incarnação e Nascimento de Jesus: o Natal.
Este tempo tem uma preparação – as quatro semanas do Advento; uma celebração – a festa do Natal; um prolongamento e conclusão – seis domingos após a Epifania (festa dos Reis Magos).
O Tempo do Natal decorre desde as Vésperas I do Natal do Senhor até ao domingo depois da Epifania, isto é, até ao domingo a seguir ao dia 6 de janeiro inclusive.
À semelhança do que acontece com a Páscoa, também o Natal tem um período de preparação: o Advento.
O tempo do Advento começa com as Vésperas I do domingo que ocorre no dia 30 de novembro ou no mais próximo a este dia e termina antes das Vésperas I do Natal do Senhor.
O ciclo do Natal inclui as solenidades de Santa Maria Mãe de Deus (1 de janeiro), da Epifania do Senhor (domingo seguinte ao dia 6), e a festa do Batismo de Jesus.
 
4. O Tempo Comum compreende 33 ou 34 semanas nas quais não se celebra nenhum aspeto particular do Mistério de Cristo. Principia logo depois da festa do Batismo do Senhor e estende-se até à Quaresma, continuando depois do Pentecostes até ao Advento. No último dos seus domingos celebra-se a solenidade de Cristo-Rei.
Mais rigorosamente, começa na segunda-feira a seguir ao domingo que ocorre depois do dia 6 de janeiro e prolonga-se até à terça-feira antes da Quaresma inclusive; retoma-se na segunda-feira a seguir ao Domingo do Pentecostes e termina antes das Vésperas I do Domingo do Advento.
No Tempo Comum têm lugar as solenidades da Santíssima Trindade, do Corpo de Deus, de Cristo Rei do Universo.
De Nossa Senhora destacam-se, ao longo do ano, as solenidades da Assunção (15 de agosto) e da Imaculada Conceição (8 de dezembro).
Ainda ao longo do ano, há a solenidade de Todos os Santos (1 de novembro); a evocação de alguns santos como solenidades (S. João Batista, por exemplo, a 24 de junho, e Santos Pedro e Paulo, 29 de junho); como festas (Santo António, por exemplo, a 12 de junho); como simples memórias, que podem ou não ser obrigatórias.




Notícias relacionadas


Scroll Up