Fotografia:
13 anos depois

Acabamos de completar uma série de quatro derrotas consecutivas, três delas em casa, para a Liga principal de futebol. Após o jogo do passado domingo, em que o SC de Braga somou mais uma derrota caseira frente ao Rio Ave, a crónica do jogo no Diário do Minho trazia como título esta interrogação: “Alguém se lembra de tão mau registo?” Obviamente, eu não me lembrava. Por isso foi à internet, que sabe tudo. E aí descobri que a última vez que perdemos quatro jogos consecutivos foi na época de 1999/2000.

Manuel Cardoso
7 Nov 2013

Já fez treze anos: perdemos na jornada 23, em casa, com a União de Leiria, depois em Guimarães, novamente em casa com o Sporting e completamos o desastre com uma derrota com o Marítimo, na Madeira.
A equipa então treinada por Manuel Cajuda tinha, no jogo seguinte, um adversário de peso: o Benfica. Num Estádio 1.º de Maio ainda com maioria de adeptos do Benfica na bancada, o jogo era muito importante porque a equipa, liderada por Manuel Cajuda, ameaçava cair nos últimos lugares da classificação. 25 de março de 2000. O jogo começou bem para a nossa equipa: aos 15 minutos, o incontornável Barroso bate um livre a mais de 30 metros da baliza. Como era seu timbre a bola saiu fortíssima e cheia de efeito. O guarda-redes benfiquista, Bossio, defende com dificuldades e larga a bola para a recarga fácil de Taílson. O Benfica, que necessitava da vitória para não deixar fugir o Sporting (que viria a ser campeão) deu a volta ao marcador com golos de Sabry e Nuno Gomes.
Avançamos para os últimos dez minutos com o resultado em 1-2. 81 minutos de jogo: Zé Nuno Azevedo entra na área benfiquista, em velocidade, pela meia-
-direita e remata cruzado sem hipóteses para Bossio. Um grande golo. Aos 87 minutos o saudoso Pedro Lavoura é travado em falta por Paulo Madeira. Livre na zona frontal a uns 35 metros da baliza. Barroso já tinha saído pelo que a falta foi cobrada pelo central Odair. Dos pés do brasileiro saiu um verdadeiro míssil que só parou no fundo das redes. Terminava assim a série negra. Acontece que, por ironia do destino, o próximo jogo do SC de Braga para a liga será frente ao Benfica. Será que 13 anos depois a história vai repetir-se? Eu acredito que sim.
Um amigo dizia há pouco tempo que acreditava que, agora sim, terminou a pré-época do Braga. Eu também quero acreditar que sim, que a partir daqui começará o nosso verdadeiro campeonato.
No entanto, o jogo da Taça, no próximo fim de semana será determinante; uma eliminação seria deitar por terra mais um dos objetivos da época. Por outro lado, uma vitória em Olhão terá o condão de, além de nos permitir continuar a sonhar com o Jamor, pacificar um pouco os ânimos e incentivar todos os adeptos a um apoio maciço, que o SC de Braga bem precisará, no jogo frente ao SL Benfica, duas semanas depois.
O momento, não o escondamos, é de crise. Muita coisa vai mal, começando por aquilo que o próprio Alan admitiu há poucos dias e que eu já tinha referido nestas linhas por mais que uma vez: colocámos a fasquia muito alta. Acrescento eu: depois de termos vendido e emprestado vários jogadores de grande qualidade. Agora, é tempo de chamar de novo o espírito guerreiro. Será que ainda vamos a tempo? Acredito que sim.




Notícias relacionadas


Scroll Up