Fotografia:
Selvajaria permitida

No jogo de Futebol do passado fim-de-semana entre as equipas do Porto e Sporting, mais uma vez, registaram-se cenas absolutamente lamentáveis e reprováveis. Ao que parece, estas manifestações de barbárie vieram para ficar, sem que não se consiga controlar este fenómeno de violência. As autoridades policiais, judiciais e políticas parecem não controlar nem estar muito interessadas em acabar com este fenómeno que nada tem a ver com desporto, que mais parece ter contornos de violência e de crime organizado.

Fernando Parente
1 Nov 2013

Mas será necessário acontecer uma grande tragédia, morrerem algumas dezenas de pessoas como aconteceu no final dos anos oitenta na final de uma taça em Inglaterra? Caso não se tomem medidas e se punam os responsáveis é provável que aconteçam incidentes que todos iremos lamentar. É necessário morrer alguém? Quantos?
Parte deste escândalo, como todos tivemos oportunidade de ver através de imagens televisivas, disponibilizadas em várias notícias e na internet, decorreram fora do Estádio do Dragão e não será difícil identificar agressores e agredidos e aplicar as penas proporcionais às ações desenvolvidas. Caso nada aconteça então é melhor não acreditar mais neste Estado “dito” de Direito.
Mas como se esta questão não ficasse por aqui, os agentes desportivos, em vez de imediatamente lamentarem e reprovarem veementemente a violência associada a estas manifestações desportivas, onde os seus clubes e “apoiantes estão envolvidos, lançam comunicados nos seus “sítios” oficiais e para a comunicação social em que mais parecem dar força a estes grupos de agitadores sociais! Temos ainda a comunicação social, nomeadamente as estações televisivas a dar tempo de antena a comentadores dementes, quase sempre apoiantes da instigação entre adeptos, fracos nas análises e irresponsáveis no uso de opinião em benefício de interesses que nada acrescentam ao nosso desenvolvimento social e ao país.
Que se tirem os agitadores e provocadores de violência dos estádios e da “cena” desportiva, que se criem oportunidades para quem gosta de desporto o possa fazer em paz e segurança, que uma família possa gozar uma boa experiência assistindo ao vivo a um jogo de Futebol.
Todos sabemos que em épocas de crise estes fenómenos tendem a crescer, assim como dá jeito a muitos governantes e outros grupos de interesse que o “Circo” entretenha a população e a distraia dos seus reais problemas. Quem nos dirige não se pode pôr de lado perante este problema de falta de valores, de cultura, de educação, de justiça, e claro, de governação. Quantas vezes sentimos que a política está a pressionar o poder judicial, dos tribunais, para se atingirem determinados fins? Aqui está um bom motivo em que todos gostaríamos de ver empenhamento político para que os agentes responsáveis pela ordem pública fossem mais ativos e assertivos, a bem dos direitos e deveres de todos os cidadãos. A não ser assim continuaremos a assistir a esta selvajaria permitida.




Notícias relacionadas


Scroll Up