Fotografia:
Hesitações

Este verão que nunca mais acaba tem andado cheio de fumo. É o fumo dos criminosos que destroem florestas e vidas e é a fumaça que nos tolda a vista no que ao futebol diz respeito. Não sei se é fumo ou nevoeiro mas tem sido muito difícil para nós, adeptos, ver o que se passa na construção do nosso SC Braga 2013-014. Depois de uma pré-época que até foi positiva, com a inclusão de jogadores de qualidade e com um técnico de provas dadas, acabamos por ser eliminados da Liga Europa de uma forma estranha, quase inconcebível.

Manuel Cardoso
19 Set 2013

Depois, na liga portuguesa, as coisas não estão mal de todo. Nove pontos em quatro jogos não é mau pecúlio. Estamos em terceiro lugar, só atrás do incontornável FC do Porto e daquela que é a equipa sensação da Liga, o Sporting de Lisboa. O pior mesmo foi a forma como perdemos os três pontos em Barcelos. Absolutamente inacreditável como se perde um jogo daquela maneira.
Globalmente, o balanço deste primeiro mês de competição é, na minha opinião, negativo. É certo que estamos em terceiro lugar, mas a eliminação precoce da Liga Europa e, principalmente, as dificuldades que a equipa vem revelando são, a meu ver, preocupantes.
No entanto, uma situação preocupante não é uma situação de crise nem muito menos de catástrofe como muitos por aí querem fazer crer. Na realidade, o SC de Braga vive um período menos bom porque a saída de alguns jogadores foi muito mais marcante do que aquilo que se esperava. Jesualdo Ferreira herdou um problema muito mais sério do que se julgava: até ao momento ainda não se encontraram substitutos à altura de Hugo Viana e Mossoró.
Na minha opinião, o grande problema está na eficácia do meio campo. Basta ver as hesitações que o nosso treinador tem tido na definição do trio dessa zona do terreno.
Falta ali um patrão. Falta uma voz de comando e o professor sabe isso melhor do que ninguém. Alan e Micael são os que mais se aproximam dessa condição de organizadores de jogo ofensivo; no entanto, Alan sempre foi um extremo e a posição 10 não se coaduna com as suas caraterísticas; Micael podia fazer esse papel mas as coisas não lhe correram bem e nós, os adeptos, infelizmente perdemos depressa a paciência quando um jogador falha em 2 ou 3 lances.
Neste momento, as opções de Jesualdo Ferreira para essa posição são cada vez mais reduzidas. Qualquer adepto do SC de Braga que leia este artigo, neste momento, está a pensar no Rafa. Será ele a solução para esta posição de tanta responsabilidade numa equipa de futebol? Qualidade não lhe falta mas terá ele maturidade para tal?
Estou convencido que Jesualdo Ferreira fará de Rafa o organizador de jogo ofensivo que nos falta. No entanto, a todos nós, adeptos, pede-se um pouco mais de paciência. As hesitações que a equipa vem revelando são perfeitamente normais e estou convencido que a fumaça deste início de época em breve se vai desfazer.
E nós, na bancada, temos de abandonar aquele “tique” que gostamos de imitar dos clubes ditos “grandes”: assobiar a equipa e insultar os jogadores quando as coisas não correm como nós queremos. Sou sócio da Superior e às vezes custa-me bastante ver e ouvir sócios do Braga que, durante os jogos, mais parecem adeptos do adversário. O pior é que, na prática, eles acabam mesmo por funcionar como adeptos do adversário. Apetece dizer, haja vergonha na cara!




Notícias relacionadas


Scroll Up