Fotografia:
Sinais no tempo!

Pertenço a uma geração com princípios e valores, com educação e formação, gente simples independentemente da cultura ou da riqueza. Pois bem, habito numa aldeia dos arredores da cidade onde ainda se respira o ar natural do mundo rural, apesar de nos últimos anos terem surgido algumas urbanizações  e consequentemente mais algumas pessoas. Procuro estar atento ao que se passa na minha terra e começo a estranhar algumas mudanças dos últimos tempos, exactamente por parte de jovens moradores e cidadãos aqui chegados, na verdade desde o bom dia, que parece não faz parte do cumprimento, ao passear de cães de raças potencialmente perigosas, sem trela e sem preocupações de limpeza  dos dejectos dos animais, tudo parece novo por aqui.

J. Carlos Queiroz
8 Set 2013

Rostos fechados,  que se cruzam sem uma palavra ou um simples aceno de cabeça, mostram já uma mudança de hábitos na aldeia, apenas quebrada quando um morador mais antigo aparece e saúda com um bom dia risonho. Curiosamente, o desrespeito pelos cidadãos também cá chegou, pois existem proprietários que permitem que os seus cães circulem livremente junto das vedações de reduzidas dimensões, pondo em causa a segurança de quem tranquilamente circule nos passeios. São estes sinais no tempo que eram dispensados, na verdade, viver em comunidade tem regras que  nenhuma evolução justifica sejam alteradas. A educação e a cultura distinguem o cidadão, nada justificando  estes novos comportamentos, numa aldeia que apesar de tudo, continua rural ou quando muito semi-rural.
Recordo outros tempos em que militares da GNR  circulavam a pé pela aldeia, atentos à segurança das pessoas e bens. Os tempos são, efectivamente, outros, e os princípios parecem também agora estarem a ser esquecidos…,ou será que o problema reside em não serem efectivamente transmitidos às novas gerações? Fica o registo, sendo certo os residentes naturais desta terra ainda são maioritários e continuam a manter a saudação, o respeito e comportamentos do passado! Evoluir sim, mas  mantendo os bons princípios.
Uma nota final, para referir que nem todos os que chegaram recentemente a Tadim se dispensam dos bons hábitos desta terra. Ainda bem que os bons sinais também cá moram…




Notícias relacionadas


Scroll Up