Fotografia:
Mochilas pesadas podem prejudicar saúde das crianças

Setembro é o mês do regresso às aulas e, com elas, o transporte de mochilas escolares demasiado pesadas e, por vezes, as queixas de dores nas costas entre crianças e adolescentes.O excesso de peso nos ombros provocado pela quantidade de objetos que transportam na mochila pode prejudicar o desenvolvimento e contribuir para o desgaste da coluna vertebral das crianças e jovens.

Paulo Pereira
7 Set 2013

Na altura de escolher a mochila escolar tenha atenção alguns conselhos:

• A mochila deve ser feita de material leve e resistente;

• Ter costas almofadadas;

• Ter duas alças almofadadas e ajustáveis, para que a mochila fique o mais encostada possível às costas da criança;

• Ter compartimentos para que os materiais escolares sejam arrumados e estabilizados;

• Não deve pesar mais de 10% do peso do corpo da criança, incluindo a carga.

Se a criança tem que percorrer longas distâncias a pé, o ideal é optar por uma mochila com rodas e uma pega suficientemente comprida para evitar a inclinação do tronco durante o seu transporte. Nos intervalos das aulas e nas viagens, os pais e educadores devem certificar-se que a criança retira a mochila das costas.
É também importante que os alunos levem para as aulas apenas o material necessário que precisarem para esse dia da semana. Os objetos mais pesados devem ser colocados no fundo da mochila. Se esta tiver compartimentos laterais, a distribuição da carga entre eles deve ser feita de forma a que fique equilibrada.
A prevenção de problemas na coluna passa sobretudo pelos educadores, pais e professores, que devem estar atentos não só ao transporte de mochilas mas também, à postura adoptada durante as aulas, à prática de exercício físico e aos sintomas das crianças.
A campanha Olhe pelas Suas Costas é uma iniciativa da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, em parceria com a Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral, Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação, Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia e Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia. Para mais informações consulte: http://www.olhepelassuascostas.com/ ou visite o facebook: https://www.facebook.com/olhe.costas.




Notícias relacionadas


Scroll Up