Fotografia:
Dia Internacional da Juventude

Por resolução da Assembleia Geral da ONU, a partir de 1999, o dia 12 de Agosto passou a ser considerado como o Dia Internacional da Juventude. É o dia em que se tenta analisar os problemas da juventude, que variam com o evoluir das sociedades. No tempo actual, aos problemas normais para aquela faixa etária juntam-se os problemas que as sociedades estão atravessando e que limitam os sonhos e esperanças da juventude deste tempo. Parece-nos, por isso uma juventude mais irresponsável e sem valores do que aquela que nós próprios vivemos.

Júlia Major
12 Ago 2013

Mas será que se isto é verdadeiro os educadores (principalmente pais) não terão também uma parte de responsabilidade naquilo de que agora não gostam? Educaram-nos sem sentido de responsabilidade, com todos os “facilitismos”, talvez com liberdade excessiva e prematura e, agora eles não podem compreender nem aceitar a austeridade.
Mas será que nós os compreendemos? Ao compará-los com os jovens do “nosso tempo” estamos a esquecer a nossa própria rebeldia e não admitir que as sociedades evoluem e que se modificam exactamente porque há quem tenha ideias e valores diferentes.
 Os conflitos de gerações devem sempre ter existido e estas frases são as que os “cotas – (mais velhos) usam, geralmente, para definir os jovens:
1 – “A nossa juventude adora o luxo, é mal-educada, despreza a autoridade e não tem o menor     respeito pelos mais velhos; os nossos filhos hoje são verdadeiros tiranos, não se levantam quando uma pessoa idosa entra, respondem aos pais e são simplesmente maus”;

2 – “Não tenho mais nenhuma esperança no futuro do nosso país se a juventude de hoje tomar o poder amanhã porque esta juventude é insuportável, desenfreada, simplesmente horrível”.

3 – “O nosso mundo atingiu o seu ponto crítico. Os filhos não ouvem mais os pais. O fim do mundo não pode estar muito longe”.

4 – “Esta juventude está estragada até ao fundo do coração. Os jovens são maus e preguiçosos. Eles nunca serão como a juventude de antigamente… A juventude de hoje não será capaz de manter a nossa cultura”.
Estas frases foram citadas pelo médico inglês Ronal Gibson numa conferência e, no fim, como os espectadores concordaram com as elas, revelou a sua origem:
A 1.ª é de Sócrates (470-399 A.C.)
A 2.ª é de Hesíodo (720-A.C.)
A 3.ª é de um sacerdote do ano 2000 a.C.;
A 4.ª estava escrita num vaso de argila descoberto nas ruínas da Babilónia e tem mais de 4000 anos de existência. 
Nada mudou! As várias gerações serão sempre diferentes das anteriores e é assim que o mundo avança…




Notícias relacionadas


Scroll Up