Fotografia:
Já fervilha…

Para o adepto do pontapé na bola não há mês mais tristonho que junho; nem os santos populares conseguem esquecer as emoções do estádio, as discussões de segunda-feira, o treinador que é um nabo e até mesmo o palavrão apimentado na bancada. Valem-nos as primeiras páginas dos jornais desportivos para manter o bom humor, de rir até às lágrimas. Que me perdoe o “santantoninho” que hoje se festeja mas isto sem futebol a sério não tem piada nenhuma… Mas o certo é que “isto” já fervilha.

Manuel Cardoso
13 Jun 2013

O FC do Porto parece apostar na fórmula do costume; podem sair Moutinhos e James, pode contratar-se um treinador novato, podem contratar-se jogadores de equipas menores porque, no final, lá estarão Pinto da Costa e os seus bitaites a rir no fim.
O Benfica continua igual a si mesmo: a contratar algumas toneladas de craques, a fazer uma equipa de sonho, a preparar-se para encher de esperanças e sonhos desmedidos os adeptos, incluindo os dos jornais. No fim talvez Jorge Jesus se encarregue novamente de fazer rir Pinto da Costa.
Quanto ao Sporting continua a esfregar as mãos. Agora a sério: pelo andar da carruagem, os leões são bem capazes de sair da toca. Estão sem dinheiro mas talvez a crise seja mesmo uma oportunidade para, finalmente, fazerem render os bons jogadores que por lá andam à espreita. Há muitos anos que se diz do Sporting ter uma equipa de futuro. Talvez seja agora a oportunidade para construir esse futuro. Além disso convém não esquecer que um leão só é perigoso quando está com fome. Não me admirava se o Sporting visse a ser a surpresa do próximo campeonato.
No SC de Braga é altura de renovação; temo pelo início da época, tais são as mudanças que se anunciam; para além dos jogadores valiosos que já saíram, há ainda alguns que andam na comunicação social a fazer o que não sabem: a falar. Rúben Micael diz que não sabe onde vai jogar; pois bem, na minha opinião de adepto, a porta está aberta. Escancarada para ele. Se não está bem por cá, a gente até agradece que mude de ares. Além disso, todos sabemos que não tem sido pela saída de jogadores que o Braga tem falhado este ou aquele objetivo (ainda não entendo como se continua a dizer, por exemplo, que com Lima tínhamos ido à Champions)…
Entretanto, José Peseiro foi à televisão queixar-se. Durante a época a culpa foi do azar e das lesões. Agora a culpa foi das lesões (nessa parte até concordo), dos jogadores que não interpretaram as suas ideias e da falta de soluções no plantel… eu, adepto, fico um pouco confuso; com tantos culpados é difícil perceber como ganhamos a Taça da Liga. Talvez por mérito do treinador…
Mas nem tudo foi mau na entrevista do nosso ex-técnico; foi bonito ouvir aquela frase genial, cheia de criatividade, em que José Peseiro afirma que o seu estilo de jogo só é viável se tiver grandes jogadores. É engraçado, o meu também. E nunca fui treinador. Começo a pensar que passei ao lado de uma grande carreira…
Mas enfim, desejo a José Peseiro toda a felicidade do mundo e que rapidamente encontre lugar num “grande”.




Notícias relacionadas


Scroll Up