Fotografia:
Há quem reveja João quando vê Francisco

1 Não há pessoas iguais, mas pode haver pessoas parecidas. Quando o Papa Francisco foi eleito, muita gente se lembrou de João XXIII. Não faltou, desde o princípio, quem visse no Papa Francisco uma espécie de reprodução do Papa João.
2. Mas será que Francisco pode ser descrito como um continua-dor de João? E, consequentemente, fará sentido apontar João como um antecipador de Francisco?
José Manuel Vidal e Jesús Bustamante não perderam tempo e, pouco depois do Conclave, publicaram um livro com o título: «Francisco, o novo João XXIII»!

João António Pinheiro Teixeira
4 Jun 2013

3. É claro que as leituras apressadas correm o risco de ser redutoras e, muitas vezes, enviesadas.
Mas é um facto que quem conheceu o Papa João parece que o está a reconhecer no Papa Francisco. E quem visita o Papa Francisco fica com a sensação de que está a revisitar o Papa João.
4. Compreende-se, pois, que o perfil de João XXIII possa despontar como uma possível chave de leitura do que pode vir a ser o pontificado do Papa Francisco.
Não se trata de uma condicionante, mas de uma inspiração.
5. Baruch Tenembaum, candidato por várias vezes ao Prémio Nobel da Paz, auspicia que o Papa Francisco vai introduzir a Igreja num tempo diferente.
Já o Papa João, que foi eleito no Outono, inaugurou uma Primavera. O Papa Francisco, escolhido no final do Inverno, tem sido apontado como prenúncio de uma nova Primavera.
6. Tenembaum assinala que «os dois provêm de lares humildes».
Como João XXIII, também o Papa Francisco «fala com simplicidade. Para ele, o importante é que as pessoas o entendam».
7. A bondade, que fluía em cada gesto do Papa João, é um tema recorrente na trajectória do Papa Francisco.
Em Buenos Aires, já confessava o seu receio «de uma ética sem bondade».
8. Como o Papa João, o Papa Francisco não quer afastar a Igreja do nosso tempo, mas pretende sobretudo aproximá-la dos começos.
Na linha do Papa João, o Papa Francisco deseja que a Igreja esteja no mundo, mas sem ser mundana. Daí os gestos que sinalizam uma Igreja despojada, uma Igreja peregrina, uma Igreja acolhedora.
9. Como fazia o Papa João, também o Papa Francisco fala com todos e acolhe cada um. Afaga os mais pequenos, acarinha os doentes, pára junto dos idosos, quebra os protocolos, faz humedecer os olhos e vai comovendo todos os corações.
Acontece que, tal como se notava no Papa João, também a bondade do Papa Francisco não é ingénua. Ele é determinado e sabe o que quer. Ou, melhor, sabe o que Deus quer dele.
10. João XXIII morreu faz dia 3 de Junho cinquenta anos. Mas a chama que acendeu nunca se apagou.
Sentimos que está a renascer nestes primeiros passos do Papa Francisco!




Notícias relacionadas


Scroll Up