Fotografia:
Os Bombeiros de Vila Verde comemoram cem anos ao serviço do povo

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde está a cumprir um grande dever, comemorando os cem anos de existência de uma das grandes instituições do concelho. Os seus dirigentes revelam um fulgor que lhes brota da “alma” como sendo o culminar de tantos sucessos, patentes numa entrega à causa humanitária ao longo de um século.

Salvador de Sousa
29 Abr 2013

O desejo, penso eu, de haver algo que protegesse a população, sobretudo no combate a incêndios, pode ser ainda mais antigo, não se podendo localizar no tempo, pois por aquilo que li no sítio desta instituição e no jornal “Pronto-Socorro”, já com várias edições, pude verificar que na publicação, que semanalmente foi editada neste concelho com uma certa regularidade entre 1885 e 1945 “Folha de Villa Verde”, já em 1911 se falava muito na grande preocupação da população em possuir um serviço regular de combate a incêndios, mas só mais tarde no número 1376 de 18 de janeiro de 1914 se faz referência à deliberação da Câmara de Vila Verde com a atribuição de um subsídio de 300$00 e a diversas iniciativas que promovessem a angariação de fundos para a compra de uma bomba contra incêndios, mas, segundo noticia a referida publicação de 18 de abril de 1915, só, pouco antes dessa edição, é que os vilaverdenses assistiram à apresentação, em público, da primeira corporação dos bombeiros com os seus uniformes numa procissão e, na mesma altura, seguiram-se alguns exercícios com a referida bomba no centro de Vila Verde. Foram estes os momentos marcantes que vincam o trabalho dos nossos antepassados, criando esta prestigiada e necessária obra que foi enriquecida no decorrer dos tempos.
Esta Associação Humanitária merece todo o apoio e carinho da população, pois existe para servir e tudo tem feito para diversificar as áreas de socorro e proteção, lutando, ao longo da sua existência, para estar cada vez mais ao lado dos cidadãos. Quem ainda, direta ou indiretamente, não necessitou do auxílio desta tão meritória instituição? Quantos homens e mulheres trabalham desinteressadamente em defesa da vida humana e dos seus bens materiais? Quantos bombeiros arriscam a vida para a defesa dos seus concidadãos? Podemos chamar mártires a tantos que pereceram, neste nosso mundo, a lutarem pela defesa dos seus compatriotas! São admiráveis estes atos humanitários! São pessoas de entrega e corajosas na sua nobilíssima função, dando, em muitos casos, “a vida pelo seu irmão”. Perante tudo isto, é fácil deduzirmos qual deve ser o nosso comportamento e a nossa resposta quando somos confrontados com qualquer tipo de colaboração!
Admiro também muito todo o pessoal da direção e do comando desta instituição vilaverdense por todo o trabalho que tem sido feito não só na criação de infraestruturas condignas, mas também na obtenção dos meios essenciais para poderem dar as respostas possíveis às exigências do mundo atual.
O atual Presidente da Direção, Carlos Braga, homem dinâmico, incansável por toda a sua doação e pelo seu trabalho em prol dos Bombeiros de Vila Verde, exerce o cargo há uma década. São vinte anos a servir esta corporação, pois antes foi membro da direção durante outros 10 anos. Tem sido um grande promotor, juntamente com os seus colegas, em elevar qualitativamente esta instituição, continuando a apetrechá-la com todos os meios necessários para dar resposta a tantas solicitações tão prementes.   
A comemoração do centenário está a ser um sucesso, pois revela bem o carinho que todas as forças vivas deste concelho têm por esta instituição, algumas delas presentes nos programas já oferecidos à população. Logo na Gala de Abertura tivemos o concerto levado a cabo pela Academia de Música de Vila Verde em que participou também o Grupo Coral da Santa Casa da Misericórdia e, há dias, no 25 de Abril, tivemos o prazer de assistir à atua-ção do Grupo de Fados e Baladas de Coimbra e do Grupo Raízes que admirei pelo seu reportório de grande qualidade. A comemoração do centenário vai continuar até final do ano e terá, posso já garantir, outros pontos altos.
Termino com um pensamento tão sublime do Comandante, José Alberto Lomba: “Aos homens e mulheres que se encontram sob a minha responsabilidade, quero sublinhar e reafirmar que só seremos realmente importantes e imprescindíveis se formos capazes de colocar o interesse coletivo à frente do interesse individual. Juntos, somos fortes, bravos, destemidos e transcendentes na reafirmação da nossa divisa – VIDA POR VIDA”.




Notícias relacionadas


Scroll Up