Fotografia:
Dia Mundial do Livro – 23 de Abril de 2013

A comemoração do Dia Mundial do Livro teve a sua origem na Catalunha, uma região de Espanha.A data começou a ser celebrada em 7 de Outubro de 1926, em comemoração ao nascimento de Miguel de Cervantes, escritor espanhol. O escritor e editor valenciano, estabelecido em Barcelona, Vicent Clavel Andrés, propôs este dia para a Câmara Oficial do Livro de Barcelona. Em 6 de Fevereiro de 1926, o governo espanhol, presidido por Miguel Primo de Rivera, aceitou a data e o rei Alfonso XIII assinou o decreto real que instituiu a Festa do Livro Espanhol.

Maria Fernanda Barroca
20 Abr 2013

No ano de 1930, a data comemorativa foi trasladada para 23 de Abril, data do falecimento de Cervantes.
Mais tarde, em 1996, a UNESCO confirmou o dia 23 de Abril como o Dia Mundial do Livro, pois nesse dia morreram também, Josep Pla, escritor catalão, e William Shakespeare, dramaturgo inglês.
No caso do escritor inglês, tal data não é precisa, pois que em Inglaterra, naquele tempo, ainda utilizava o calendário juliano, pelo que havia uma diferença de 10 dias apara o calendário gregoriano usado em Espanha. Assim Shakespeare faleceu efectivamente 10 dias depois de Cervantes.
Mas quem foi Cervantes, para assim ser tão motivador para os espanhóis?
Miguel de Cervantes Saavedra, nasceu em Alcalá de Henares, a 29 de Setembro de 1547 e faleceu em Madrid, a 23 de Abril de 1616. Foi romancista, dramaturgo e poeta castelhano. A sua obra-prima, Dom Quixote, muitas vezes considerado o primeiro romance moderno, é um clássico da literatura ocidental e é regularmente considerado um dos melhores romances já escritos. O Seu trabalho é considerado entre os mais importantes em toda a literatura e a sua influência sobre a língua castelhana tem sido tão grande que o castelhano é frequentemente chamado La lengua de Cervantes.
Filho de um cirurgião cujo nome era Rodrigo e de Leonor de Cortinas, supõe-se que Miguel de Cervantes tenha nascido no dia 29 de Setembro, data em que se celebra a festa do Arcanjo São Miguel, e pela tradição, recebeu o nome do Santo do dia; foi baptizado em Castela no dia 9 de Outubro de 1547 na paróquia de Santa María la Mayor.
Em 1569, feriu num duelo António Sigura e viu-se obrigado a fugir  para Itália, tendo publicado já quatro poesias de valor. A sua participação na batalha de Lepanto, no ano 1571, deixa-lhe inutilizada a mão esquerda que lhe vale o apelido de o manco de Lepanto.
Em 1575, durante seu regresso de Nápoles a Castela é capturado pelos piratas e permanece em Argel até 1580, ano em que é libertado depois de pagar o resgate.
De regresso a Castela casa-se com Catalina de Salazar em 1584, vivendo algum tempo em Esquivias, povoação de La Mancha de onde era sua esposa; aí dedica-se ao teatro, publicando em 1585 A Galatea, o seu primeiro livro de ficção, no novo estilo elegante da novela. Com a ajuda de um pequeno círculo de amigos, que incluía Luíz Gálvez de Montalvo, o nome de Cervantes começou a ser conhecido.
Preso em 1597 depois da falência do banco onde depositava o seus haveres, “engendra” Dom Quixote de La Mancha, sem que se saiba se este termo quer dizer que começou a escrevê-lo na prisão, ou simplesmente que se lhe ocorreu a ideia.
Finalmente, em 1605 publica a primeira parte de sua principal obra: O engenhoso fidalgo dom Quixote de La Mancha. A segunda parte não aparece até 1615: O engenhoso cavaleiro dom Quixote de La Mancha.
Em 1613 – Ingressa na Ordem Terceira de São Francisco. e morre em 1616, parecendo ter alcançado a serenidade de espírito.
Postumamente aparece a novela Os trabalhos de Persiles e Sigismunda.
Miguel Cervantes, está para os espanhóis, como Luis de Camões, para os portugueses, ainda que as respectivas obras-mestras, não sejam do mesmo estilo.
Enquanto Miguel Cervantes escreve Dom Quixote de la Mancha, considerado o primeiro romance moderno, livro do ano em 2002; Luis de Camões escreve os Lusíadas – uma obra épica sem igual no mundo.




Notícias relacionadas


Scroll Up