Fotografia:
Atores de palco

Todo o mundo tem atores. Uns são profissionais dos ecrãs de cinemas, outros do palco e a maioria são os atores do dia-a-dia, na vida. Uns serão felizes, outros sofrerão em diversas fases da vida e, outros parecem ter nascido (apenas) para ter de passar o tempo. Todo o homem tem direito à felicidade, a procurar a saúde do corpo ou da alma, bem como a dispensar o sofrimento, seja de que tonalidade for. Todavia, o sofrimento, físico ou espiritual, podem ter solução.

Artur Soares
19 Abr 2013

Cristo veio por causa de todos os que sofrem e ensinou através das Bem-Aventuranças que todos esses terão grande recompensa no Céu, principalmente aqueles que sofrerem por causa do Seu nome. Por sua vez a Igreja de Pedro, denuncia o sofrimento, a injustiça, ensina o homem – como Cristo fez – a obter a paz e a felicidade, porque atenta às maldades e egoísmos de outros homens, principalmente aqueles atores das leis políticas que possam prejudicar a humanidade ou ir contra os seus ensinamentos ou à Sua Doutrina Social.
Os “atores” da paz, da prática do bem, dos que respeitam as convicções ou os ideais dos outros, respeitam e ajudam na doença, nos males de instabilidade diversas que, quantas vezes, os seus portadores não veem luz ao fundo do túnel para resolverem com normalidade o que tanto os aflige.
Por assim ser – dificuldades em resolver situações – há necessidade de, com toda a força, ouvir conselhos, mas principalmente estar atento aos mentirosos e aos injustos. Estes atores de circunstância são tantos à volta, que se sentem nas esquinas de pouca luz, na política, nas televisões e nos negócios. E se forem ouvidos até à oca medula que alimentam, regressar-se-á mais informado, mais tranquilo, com mais experiência de vida, se, ninguém se deixar enrolar.
Há muita gente que comete erros com o percurso que fazem para atenuar sofrimentos, pobreza, perseguições entre outros males. É conhecida a existência de grupos mentirosos e organizados que, galgando quilómetros ou milhas penetram nos ambientes dos sem esperança, das frustrações, da ausência de medicina, sendo atores na resolução do mal dos outros, inclusive, especialistas em assuntos de vida espiritual, de religião, que sendo angariadores de dinheiro, se instalam em rádios e televisões, criando autênticos hipermercados e multinacionais de fé, para o milagre ser servido a horas e dias marcados – desde que paguem quotas – com todo o espetáculo que os casos merecem.
Conhecem-se grupos ou seitas que por dinheiro, fanatismos, excentricidade, ódios, faltas de temor de Deus, bem-falantes e atentos às aflições dos outros, tudo exploram vilmente depois.
O Papa João XXIII, apercebendo-se atempadamente do problema Seitas, avisou: “a raiz de muitos males que se vão propagando contra os indivíduos, povos e nações e que tantas vezes perturbam os espíritos, é a ignorância da Verdade”.
Razão porque, todo o homem deve procurar apreender e sentir, momento a momento, a Verdade. Esta procura poderá ser penosa, mas ganha-se a arte da ordem, do crescimento e a arte de chegar à razão. Assim sendo, depois e com facilidade se concluirá que o melhor “ator” é aquele que é consciente, sério e solidário.
Desse modo, na saúde de cada um, recorrer-se-á sempre à ciên-
cia para atenuar ou resolver, e na vida espiritual à Palavra de Deus com a ajuda da Igreja de Pedro, representada pelo Papa e de cuja cabeça é Cristo.
Assim, a Igreja – clérigos e leigos – tem de estar atenta ao engodo sofrido de tantos, que inocentemente caem em atos e situações; denunciar e falar nestes fenómenos, uma vez que deixa estáticos os que creem em Deus e na medicina, e não em feirantes que vendem banha-de-cobra.
As curas, os milagres e as contas bancárias de alguns que foram “pagas pelos Anjos”, como esses atores anunciam sobre os palcos, bem como o cristo de que são alunos, são interesses de carteira que, nada tem a ver com o Cristo Filho de Deus, do Cristo Salvador, do Cristo dos Evangelhos.
Milagres a horas marcadas? Mas porquê em busca de milagres ou na esperança de ver milagres? Não será milagre o nascimento de todas as criaturas? Não será milagre a fé quotidiana dos que acreditam em Deus? Não será milagre que por muito escuras que sejam as nuvens na vida do homem, elas, nunca provocarão a noite?
Há atores da vida, falsos, com máscaras, despidos de tudo, que, ao contrário do que seria desejável, vivem nas sombras ou sub-repticiamente, na noite. Agitam-se nelas e tantos insistem em brilhar nelas, pensando que o tempo pára, que a verdade se desconhece e que a história jamais se contará.
Na verdade há atores para todos os palcos e as plateias são diversas. Mas pelos frutos se conhecem as árvores, diz o povo. E à bon entendeur…  




Notícias relacionadas


Scroll Up