Fotografia:
Chegou a hora do Marketing Territorial

Na sociedade global, aberta e cada vez mais competitiva em que vivemos, as cidades enfrentam novos desafios, tornando-se crucial assegurar constantemente a sua promoção e valorização. É neste contexto que surge o marketing territorial, um conceito recente que representa a aplicação dos princípios do marketing aos territórios, às cidades, aos municípios, às regiões, aos países. No marketing territorial, o produto é o território com o seu património, a sua cultura, a sua história, as suas gentes e as suas dinâmicas, sejam económicas ou sociais. O objetivo é criar uma marca suficientemente forte, capaz de criar riqueza, atrair investimento, turistas e até população residente.

Isaura Costa
27 Mar 2013

A onda da Nazaré – que foi recentemente notícia de capa do jornal “The Times” – é um excelente exemplo de marketing territorial. Falar da Nazaré é falar de mar e de pescadores. O oceano agitado e as grandes ondas fazem parte da vida das gentes da Nazaré. E ainda hoje, as histórias contadas pelos nazarenos raramente deixam de fora as desgraças que envolvem o mar. Por isso, todas as características naturais já lá estavam, só era preciso arranjar uma estratégia que as tornasse conhecidas e colocasse a Nazaré na crista da onda. Foi o que fez Garret McNamara ao ter surfado uma onda que poderá ter ultrapassado os 30 metros, despertando o mundo para a vila piscatória portuguesa. Mas nada disto foi obra do acaso. Pelo contrário, faz parte de uma estratégia elaborada de marketing territorial que dura já há vários anos e que começa agora a dar frutos.
Mas o marketing territorial também pode ser desenvolvido através de ideias inovadoras e criativas, que envolvam a população e os empresários na promoção de eventos captadores de atenção. Como não gosto de ser juíza em causa própria, lembro-me agora do caso do Festival de Chocolate de Óbidos, um evento âncora que decorre desde há vários anos, atraindo milhares de visitantes e tornando-se já uma marca identificadora desta vila portuguesa. Que se saiba não há nenhuma ligação histórica ou territorial entre Óbidos e o chocolate. Mas há agora uma ligação de sucesso.
Na verdade, há cada vez mais localidades portuguesas a despertarem para o marketing territorial, uma aposta com futuro que se pode revelar uma verdadeira surpresa. O marketing territorial, bem explorado, pode ser uma excelente estratégia turística e uma resposta para a crise. E nada é mais natural do que pegar na riqueza do nosso património, no colorido do nosso folclore, nas iguarias da nossa gastronomia, na hospitalidade das nossas gentes e desenvolver uma estratégia de marketing, criando uma marca forte e identificadora.
Vamos, por isso, olhar para o nosso património histórico e construir novas histórias que se tornem diferenciadoras e acrescentem valor ao nosso território.
Chegou a hora do marketing territorial!




Notícias relacionadas


Scroll Up