Fotografia:
Vocabulário oportuno

Neste período de vacância da Sé Apostólica é oportuno recordar o significado de um conjunto de vocábulos que se ouvem com muita frequência. Câmara Apostólica. Repartição da Cúria Romana que, depois de ter tido largos poderes no passado, hoje quase se limita à administração interina dos bens e direitos temporais da Sé Apostólica entre a morte (ou a resignação) do Papa e a eleição do sucessor. É o centro das decisões após o final do pontificado. A ela preside o Cardeal Camerlengo, neste caso D. Tarcisio Bertone.
 

Silva Araújo
7 Mar 2013

Camerlengo. Cardeal que preside à Câmara Apostólica, ao qual cabem funções importantes durante a vacância papal: administrar interinamente os bens da Sé Apostólica, (providenciar no respeitante às exéquias do pontífice defunto, se for o caso), selar o escritório e o quarto do Papa após o final do pontificado, inutilizar o anel do pescador e o selo de chumbo do pontífice, assegurar o bom funcionamento do conclave dos car-
deais que elegem o novo Papa.
 
O anel do pescador e o selo de chumbo são insígnias oficiais do Papa.
Feito em ouro, o anel do pescador tem uma representação de S. Pedro num barco, a pescar, e o nome do Papa em volta da imagem.
A anulação destas duas insígnias significa que, no período da Sé vacante, ninguém pode assumir prerrogativas próprias do bispo de Roma.
 
Capela Sistina. Espaço onde, desde 1492, acontece a eleição do Papa.
Deve o seu nome ao Papa Sisto IV (1471-
-1484), que promoveu as obras de restauro da antiga Capela Magna a partir de 1477.
O Papa Júlio II (1503-1513), sobrinho do Papa Sisto, confiou a decoração daquele espaço a Miguel Ângelo, que pintou a abóbada e a parte alta das paredes com cerca de 300 figuras.
Tem as dimensões iguais às do templo do rei Salomão, em Jerusalém: 40,5 metros de comprimento, 13,2 de largura e 20,7 de altura.
 
 A eleição do Papa faz-se de acordo com regras estabelecidas por Papas anteriores. Estão em vigor as de João Paulo II, fixadas na Constituição Apostólica Universi Dominici Gregis, de 22 de fevereiro de 1996, alteradas em alguns pontos por Bento XVI na Carta Apostólica De aliquibus mutationibus in normis de electione Romani Pontificis, de 11 de junho de 2007 e na Carta Apostólica em forma de Motu Proprio Normas Nonnullas, de 22 de fevereiro deste ano 2013.
 
Cardeal. Um alto dignitário da Igreja Católica Igreja Católica, que assiste o Papa nas suas decisões. É um conselheiro específico que pode ser consultado, pessoal ou colegialmente, em determinados assuntos, quando o Papa o desejar.
Etimologicamente deriva do latim cardo/cardinis; em português, gonzo ou eixo, em torno de que gira algo, como é o caso do gonzo da porta. Algo de fundamental à volta de que se movimenta a Igreja.
O título de cardeal foi reconhecido pela primeira vez durante o pontificado de Silves-tre I (314-335).
 
Cada cardeal é inserido numa ordem própria (episcopal, presbiteral ou diaconal), tradição que remonta aos tempos das primeiras comunidades cristãs de Roma, em que os cardeais eram bispos das igrejas criadas à volta da cidade (suburbicárias) ou representavam os párocos e os diáconos das igrejas locais. Hoje todos recebem o episcopado.
Agrupados no Colégio dos Cardeais, são também chamados de purpurados, pela cor vermelho-carmesim da sua indumentária.
Na diplomacia são considerados como “príncipes da Igreja”.
Na sua forma atual, o Colégio Cardinalício foi instituído em 1050.
Os cardeais são escolhidos exclusivamente pelo Papa.
 
Elegem o Papa os cardeais que têm menos de 80 anos de idade.
É eleito o que tiver dois terços dos votos.
Embora não tenha de ser assim, em princípio o novo Papa sairá do Colégio dos Cardeais. A isso se referia Bento XVI quando, em 28 de fevereiro, ao despedir-se deles afirmava: «Entre vós, entre o Colégio Cardinalício, está também o futuro Papa, ao qual hoje prometo a minha incondicional reverência e obediência».
 
Casa Santa Marta. Edifício onde ficam alojados os cardeais eleitores. Os quartos são atribuídos por sorteio.
 
Castel Gandolfo. Localidade situada junto do lago Albano onde se encontra a residência de verão dos Papas.
É um edifício do século XVII, obra de Maderno, edificado sob o pontificado de Urbano VIII.
 
Clausura. Nos institutos religiosos dá-se o nome de clausura à norma canónica que proíbe aos religiosos/as sair e aos estranhos entrar pelo menos numa parte reservada das respetivas casas.
Durante o conclave os cardeais eleitores estão em clausura, isto é, sem qualquer contacto com o exterior.
 
Colégio cardinalício. Órgão constituído pelos cardeais.
 
Conclave. Etimologicamente, cum clavis, fechado à chave.
Lugar onde os cardeais se reúnem em clausura para a eleição do Papa.
Em 2005, pela primeira vez na história, os lugares do Conclave estenderam-se a todo o espaço do Vaticano.
O alojamento é na Casa de Santa Marta; as celebrações litúrgicas, na Capela de Santa Marta ou eventualmente noutras capelas; a eleição, na Capela Sistina.
Os lugares do Conclave serão fechados por dentro (responsabilidade do Cardeal Camerlengo, D. Tarcisio Bertone) e por fora (responsabilidade do substituto da Secretaria de Estado, o arcebispo Giovanni Angelo Becciu).

Congregação. Nome dado à reunião dos cardeais. Há a congregação geral (com todos) e a congregação particular.

Consistório. Reunião de cardeais para tratar com o Papa de assuntos de especial importância para a Igreja.
Pode ser ordinário e extraordinário. O primeiro pode ser público, quando celebra atos solenes, nele sendo admitidas outras pes-
soas; o segundo, destinado a tratar dos assuntos mais importantes, é reservado ao colégio cardinalício.
 
Cúria. Conjunto de pessoas e instituições ao serviço do governo da Igreja.
 
Cúria Romana. Conjunto de dicastérios e organismos que coadjuvam o Papa no exercício da sua missão. É um instrumento à disposição do Papa para o governo da Igreja Universal.
Constituem-na a Secretaria de Estado, as congregações, os tribunais, os conselhos pontifícios, os ofícios, os institutos, onde são tratados os diversos assuntos relativos à vida da Igreja.
Congregações: Doutrina da Fé, Igrejas Orientais, Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, Causas dos Santos, Evangelização dos Povos, Clero, Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, Educação Católica, Bispos.
Tribunais: Penitenciaria Apostólica, Assinatura Apostólica, Rota Romana.
Conselhos Pontifícios: Leigos, Promoção da Unidade dos Cristãos, Família, Justiça e Paz, “Cor Unum”, Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, Pastoral da Saúde, Textos Legislativos, Diálogo Inter-religioso, Cultura, Comunicações Sociais, Nova Evangelização.
Ofícios: Câmara Apostólica (Camerlengo), Administração do Património da Sé Apostólica, Prefeitura dos Assuntos Económicos da Santa Sé.
Institutos: Prefeitura da Casa Pontifícia, Departamento das Celebrações Litúrgicas do Sumo Pontífice, Governorato do Estado da Cidade do Vaticano.
 
Decano. Em geral é o membro mais antigo duma corporação.
O decano do Sacro Colégio é um dos seis cardeais a que estão atribuídas as dioceses suburbicárias de Roma, ao qual compete presidir ao Colégio dos Cardeais como o primus inter pares (primeiro entre iguais). Tem residência em Roma.
 
Dicastérios. São os mais importantes organismos da Cúria Romana, presididos por cardeais.
 
Motu próprio. Documento publicado por iniciativa pessoal do Papa.
 
Papa. Aquele a quem compete o governo da Igreja, como sucessor de S. Pedro. É também o Bispo de Roma.
É o sucessor do Príncipe dos Apóstolos, a quem Jesus confiou a missão de assegurar a unidade da sua Igreja, não só como figura simbólica, mas com os poderes para isso requeridos de garante das verdades da fé, governo universal e juiz supremo.
No século VI o nome de Papa reservou-se ao Bispo de Roma.
Na qualidade de Bispo de Roma, o Papa tem como catedral a Basílica de S. João de Latrão.
 
Sé Apostólica ou Santa Sé. É a sé (sede) do Bispo de Roma que, na sua qualidade de sucessor do Príncipe dos Apóstolos, é também o Papa ou Chefe da Igreja Católica.
É sujeito de direito internacional reconhecido pela maioria dos Estados, com os quais troca pessoal diplomático. O representante da Santa Sé junto dos diversos Estados é o Núncio Apostólico, considerado o decano do corpo diplomático.
Garantia da total independência da Santa Sé é o reconhecimento da soberania do Estado da Cidade do Vaticano.
 
Sede vacante ou Sé vacante. Período entre o fim de um pontificado e a eleição do novo Papa.
 
Vacância papal. Período em que não há Papa.
 
Vaticano. Um Estado independente, situado na cidade de Roma, na margem direita do Tibre, com um pouco menos de meio quilómetro quadrado de superfície.
É um Estado soberano de direito público internacional. O Chefe do Estado é o Papa.
Surgiu em 11 de fevereiro de 1929, em consequência dos Acordos de Latrão, de 11 de fevereiro de 1929, quando o Papa se viu despojado dos chamados estados pontifícios.
 
A Cidade do Vaticano compreende o Vaticano, a Basílica de S. Pedro, os jardins papais e a Praça de S. Pedro.
Além disso, o Estado do Vaticano possui, como propriedades livres, com o direito de extraterritorialidade, várias edificações em Roma: as igrejas de S. João de Latrão, S. Paulo Fora de Muros e Santa Maria Maior. Possui também a residência de verão dos Papas, em Castel Gandolfo.




Notícias relacionadas


Scroll Up