Fotografia:
O que os + de 30.000 têm… e os outros, não!

A recente notícia de que o clube mais representativo da região minhota ultrapassou os 30.000 associados quase foi motivo de estudo, pela estranheza de numa época em que cada vez sobram mais dias ao ordenado, poder haver quem ainda se associe a uma agremiação desportiva. A realidade porém, é que feitas as contas, as pessoas concluem que saem beneficiadas devido às parcerias que o clube conseguiu com inúmeros serviços, de que se destacam, laboratórios de análises clínicas, hospitais, instituições bancárias, seguradoras, gasolineira, ginásios, casas de comércio, etc. O custo da cota acaba por ser pago com os descontos nesses serviços, e no caso das crianças até aos 14 anos, que não pagam cotas, são só benefícios.

Carlos Mangas
7 Mar 2013

Mas, tudo o acima descrito, também é proporcionado por outros clubes, dirão os sócios daqueles, em defesa das suas “damas”. É verdade, mas há coisas que apenas os “+ de 30.000” têm. Senão vejamos:
Na presente época, mora em Braga a única equipa que conseguiu derrotar FCP e SLB impedindo-os de continuar em prova, em duas das taças nacionais em disputa. Continuando a falar de números, se analisarmos a relação jogo/número de golos da principal Liga de futebol, ao cabo de 21 jornadas, os adeptos do SCB já viram 75 golos, o que dá uma média de 3,57 por jogo. Os que mais se aproximam desta marca são os adeptos do SLB que viram 65 golos. Mas se contabilizarmos apenas os golos vistos em casa, os bracarenses continuam a ser os adeptos mais felizes ao terem visto 45, mais de 4 por jogo. Só a título de exemplo, para verem 45 golos, os adeptos do SCP teriam de ter assistido à totalidade dos jogos (em casa e fora) do seu clube, o que atendendo aos resultados obtidos não seria muito atrativo.
Atendendo ao exposto, e como se diz na gíria futebolística que o golo é o sal do futebol, conclui-se que os “+ de 30.000” são os mais “bem temperados” do País. No entanto, e se levarmos em conta o que diz a Organização Mundial da Saúde sobre os problemas que podem advir do consumo de sal em excesso, são também os que por inerência correm riscos cardiovasculares mais elevados.
Talvez por isso, a equipa mais representativa do clube tentando evitar-lhes gastos supérfluos em consultas médicas tem feito os possíveis por realizar check-ups (testando o coração dos adeptos) nos próprios estádios onde atua. Só assim se compreende que tenha garantido o acesso à Champions e à final da Taça da Liga… nos penáltis; que em Old Trafford, depois de estar a ganhar 2.0 tenha perdido… 3-2; que em Guimarães, tenha saído da Taça, por ter iniciado o jogo… a perder; que, depois de estar a perder 0-3 em casa com o Paços de Ferreira, tenha chegado ao 2-3; e que depois de estar a vencer por 3-0 o Guimarães tenha permitido que os adversários reduzissem para 3-2.
Coração que aguenta estas extremidades emocionais é coração Gverreiro que com estas “consultas regulares” nos diferentes estádios nacionais e estrangeiros, não necessita tão regularmente, como outros, de visitar médicos nem fazer mais exames, pois está “rijo” como o aço.

Ps. Ultimamente, depois de ler posts de muita gente a “descascar” no SCB por causa dos atos de vandalismo a que o nome do clube infelizmente tem estado associado, cumpre-me (como adepto do futebol e sócio do clube) afirmar que, não é desistindo do apoio à modalidade e do associativismo que se combatem estes VÂNDALOS que por sinal, aparecem associados a qualquer clube. A maioria esmagadora dos adeptos de futebol não se revê nestes comportamentos de MARGINAIS que não representam ninguém a não ser eles próprios e as suas carências educativas e civilizacionais. Quantos mais formos a dizer BASTA, mais sós eles se irão sentir.




Notícias relacionadas


Scroll Up