Fotografia:
A lei da inércia/motivação (I)

Segundo a lei da inércia, quando alguma coisa se encontra em determinadas condições de existência, tende a conservar-se nesse estado, quer esteja em repouso, quer esteja em movimento. O homem, enquanto porção de matéria no estado de repouso nem sempre quer mexer-se. Que o digam os indolentes. Mas quando aquecemos e começamos realmente a andar, verificamos que a inércia é como o propulsor de um foguetão dentro de nós, sendo, pois, mil vezes mais fácil continuar a avançar do que iniciar o movimento.

Artur Gonçalves Fernandes
7 Mar 2013

Motivação e força motriz estabelecem as diferenças entre as pessoas. Se um homem imagina um plano de ação, reconhece um dever, abraça uma causa, veremos, então, cada órgão do seu corpo e cada faculdade do seu espírito começarem a trabalhar mais eficaz e suavemente que nunca. T. H. Huxley afirmou: “O resultado mais valioso de toda a educação talvez seja a habilidade para nos obrigar a fazer o que deve ser feito, quando deve ser feito. Gostemos ou não, devia ser a primeira lição a ser aprendida; e, por muito cedo que principie a sua aprendizagem, é provavelmente a última a ser compreendida pelo homem”.
O simples facto de se ter objetivos dá significado e sentido à vida, tornando cada dia muito mais interessante, construtivo, valioso e profícuo. Muitas pessoas desperdiçam a vida inutilmente. Quantas coisas relevantes se deixam de fazer e que poderiam ser benéficas para elas e para as comunidades. O homem deve pensar que um dia é uma pequena vida; se tiver objetivos construtivos e bem definidos, cultivando o hábito diário de os atingir, a sua vida terá sempre um autêntico significado. As pessoas que ambicionam o êxito durante a sua existência procuram os meios adequados para manterem a motivação e o entusiasmo nas tarefas que executam no seu dia a dia. As pes-
soas valem pela maneira como executam o trabalho que lhes compete, quer sejam dirigentes, gestores, funcionários, políticos ou simples profissionais independentes. De facto, a grande capacidade humana que comanda tudo isto é aquela força dinâmica interior que, quando posta a render e em contínuo desenvolvimento, transforma a vida de uma empresa ou de um indivíduo. Ela é a força que pode contribuir para a diferença entre as  pessoas fora de série e as meramente medíocres. A motivação superior é, na maior parte dos casos, uma qualidade mais preciosa que o próprio talento. É mais útil e valiosa uma pessoa com motivação superior, forte e permanente, embora pouco talentosa, do que um génio habitualmente apático. Força de vontade e incentivo são duas palavras simples mas que contêm uma magia portentosa capaz de fazer coisas maravilhosas. Elas dão ao homem o dinamismo mais forte que se conhece, proporcionando-lhe um interesse real para executar coisas brilhantes. As pessoas que conseguem descobrir a fórmula para despertar e desenvolver em si esse interesse real e sólido em fazer as coisas convenientes poderão revolucionar o mundo. Deste modo, não haveria preguiça nem indolência e o crescimento económico e social seria enorme, favorecendo condições de uma vida melhor para todos. Se a tudo isto acrescentarmos a honestidade que devia ser generalizada e a distribuição da riqueza mais equitativa, viver-se-ia num mundo mais justo. Quão diferentes (para melhor) seriam a postura e as decisões dos responsáveis pela gestão do erário público em todas as suas vertentes! Quando uma pessoa está suficientemente interessada em executar uma tarefa, não deve hesitar, mas lançar-se, de alma e coração, na tarefa que permita a sua melhor concretização. 90% do sucesso atingido no dia a dia dos indivíduos depende sempre do dinamismo ou da força de vontade em fazer as coisas. Já Newton defendia que “nada se move sem uma causa propulsionadora.”




Notícias relacionadas


Scroll Up