Fotografia:
Tendências

Para melhor dirigir o desporto em Portugal é fundamental conhecer as tendências internacionais, nomeadamente as boas práticas e integrar ou adaptar este conhecimento à nossa realidade cultural, mas partindo numa direção clara de desenvolvimento, nem que para isso se tenham que alterar alguns paradigmas, algumas formas de organização já “gastas” e que já não adicionam absolutamente nada.

Fernando Parente
15 Fev 2013

Todos sabemos e percebemos que existe uma separação de objetivos para o desporto de alto rendimento e para o desporto para todos. No entanto, os países mais evoluídos fazem atualmente uma abordagem global ao fenómeno “desporto”. Existe a tendência para criar uma lógica de relação e interdependência entre estes dois setores e os agentes que em cada um deles opera. Desta forma, o desafio passa sempre por ter melhores resultados internacionais, e ao mesmo tempo, cada vez mais pessoas ativas na prática da atividade física e do desporto.
Os governos dos países que melhor operam no setor desportivo, fazem-no através dos seus Institutos ou Fundações para a área do Desporto, ou em alguns casos, através do Comité Olímpico Nacional. Articulam as suas ações com as Federações de modalidade, marcam a estratégia e objetivos para fomentar e apoiar o desporto de alto rendimento, sem esquecer o fomento da cultura desportiva da sua população e o gosto pela sua prática.
A saúde é vista como um fim a alcançar com o desporto recreativo e como um meio do qual se dispõe para praticar desporto de competição ou de alto rendimento. Os programas de prática desportiva regular, fora do marco estritamente da competição, enquadram-se no ponto de vista da promoção da saúde (programas contra a vida sedentária, associados à noção de uma vida mais saudável, etc.).O desporto de alto rendimento ou de competição não têm como finalidade principal o da promoção da saúde, mas sim o da superação e vontade de alcançar melhores resultados, ou mesmo de afirmação e autoestima nacional. No entanto, o papel da saúde é muito importante como meio de alcançar esses objetivos, daí a importância dada à prevenção de lesões, ao controlo e luta contra o doping, etc.
Para organizar e promover o desporto para todos, envolve-se o maior número possível de organizações e agentes desportivos, a começar desde logo pelas escolas, onde em alguns casos, os programas de Educação Física e a deteção e seleção de talentos desportivos são discutidos e alinhados com os agentes coordenadores do desporto.
Por fim, o financiamento do desporto é feito em grande medida através das tradicionais lotarias e apostas desportivas, mas cada vez mais através das apostas “online”, cuja regulamentação nos países mais desenvolvidos, já está no terreno no sentido de “defender” todos os envolvidos nesta atividade e a sua própria economia.




Notícias relacionadas


Scroll Up