Fotografia:
Fraude nas apostas

O desporto leva muitos anos de luta contra a fraude. Mesmo quando a única recompensa era a glória de uma vitória, os atletas procuravam caminhos fora da legalidade. No entanto os casos têm vindo a aumentar exponencialmente com a chegada do dinheiro. O doping foi um dos primeiros elementos a surgir na competição, mas com o aparecimento das novas tecnologias e da chegada das apostas on-line, onde se pode apostar de uma forma anónima, começaram a surgir os casos de manipulação de resultados com o intuito de causar surpresas e daí retirar dividendos a seu favor.

Luís Covas
8 Fev 2013

As apostas provocam um segundo nível de enriquecimento de pessoas alheias ao desporto. Até aí, tudo bem. A situação desmorona-se quando as apostas servem de veículo para o engano e chega à ilegalidade com o benefício de uns poucos ou de mafias organizadas que distorcem o desporto, inclusive com apostas ilegais, essas realmente perigosas.
Nos últimos tempos, os episódios de manipulação de resultados estão a repetir-se com uma frequência que preocupa os dirigentes de Ligas e Federações Internacionais. O caso mais recente que veio a público é o de equipas italianas, onde já são conhecidos alguns agentes envolvidos e até com penas aplicadas. Quantias de dinheiro elevadíssimas que se movem depois da dica de atletas profissionais “que asseguravam uma derrota inesperada”. Apostas muito elevadas, suspeitas de atletas, dirigentes e seus familiares também envolvidos nesse processo. Em França para além do futebol começaram a aparecer modalidades com menor dimensão do que o futebol, no caso do andebol, a surgirem também com suspeitas de manipulação chegando a contemplar atletas internacionais, sendo esta modalidade a menina dos olhos do Governo francês depois de uma década espetacular de triunfos… e claro, depois do desplante dos franceses no futebol, esta modalidade tinha recebido o carinho de todos, até agora.
O tema das apostas no desporto implica um risco, mas a “rentabilidade” afasta os temores. Com as novas tecnologias, a aposta converte-se em global, massiva e apetitosa para os interesses de muitos. O atletismo teve no passado a separação entre atletas amadores e atletas que competiam num mundo “profissional” ligado às apostas. Evidentemente é fácil dizer que o dinheiro mancha tudo. Dopagem para ganhar mais e mais, manipulação de resultados para beneficiar-se através das apostas, atletas que se deixam ganhar para que outro ganhe o prémio surreal. No entanto, as recompensas, o dinheiro, o profissionalismo, as apostas, são compatíveis com a honestidade? É claro que não? É necessário transformar essa cultura, é imperioso combater esse mundo de desonestidade levando ao engano no campo e nas apostas temendo até pelas apostas legalizadas nos vários países (totobola).
E se casos destes já eram sobejamente conhecidos, surge agora uma suspeita sobre a atribuição do mundial no Catar em 2022, em que poderá estar envolvido o presidente da UEFA, Michel Platini e um alto membro do Governo francês.
O desporto está a ser marcado por demasiadas fissuras mas esperemos que se recomponha rapidamente.




Notícias relacionadas


Scroll Up