Fotografia:
A César o que é de César

As próximas eleições autárquicas irão determinar o futuro dos bracarenses num contexto nunca antes vivido.Desde 1976 que o Partido Socialista ganha claramente todas as apostas municipais no concelho de Braga como reconhecimento pelos seus eleitores do trabalho sucessivamente realizado. Com a gestão socialista, Braga tornou-se uma cidade atrativa que com as políticas pioneiras implementadas a fizeram subir a 3.ª no ranking das cidades portuguesas.

José Manuel Lopes Ferreira
18 Jan 2013

O PS nunca andou, pois, perdido nas orientações para a cidade e para o município, apesar de muitas vezes os constrangimentos e opções políticas e económicas do poder centralista lisboeta o forçarem, sem que a oposição bracarense da cor do Governo levantasse a sua voz.
Através de uma política de solos inovadora, Braga resolveu o problema habitacional, criou uma política de apoio social. Convém lembrar que a cidade de Braga foi pioneira  na política de apoio social à habitação das famílias mais carenciadas. Foi também com uma política de solos adequada que Braga viu crescer o seu tecido empresarial.
Foi com uma visão estratégica que criou e implementou uma política de transportes urbanos que cobre todo o concelho. Apostou claramente na qualidade urbana (na implementação da maior zona pedonal urbana do país) sem deixar de ter como horizonte a harmonização concelhia com políticas claras de crescimento, desenvolvimento e requalificação rural.
Fez apostas claras, com resultados positivos nos equipamentos, desportivos e recreativos.
O concelho está hoje abastecido com água potável a 100% e idêntica situação se passa com o saneamento básico, onde a recolha de lixos não deixa dúvidas sobre a higienização do concelho. As apostas no abastecimento de água e tratamento de resíduos são  igualmente  exemplo de mais-valias concelhias que concelhos vizinho usufruem.
Idênticas apostas bem sucedidas foram tomadas em áreas culturais e científicas, das quais o Teatro Circo e o Instituto Ibérico de Nanotecnologia são disso um bom exemplo.
É pois num quadro de realização autárquica que o PS, agora renovado, se apresenta aos cidadãos bracarenses. Agora renovado porque através de um processo de debate e eleição interna, sem paralelo noutros partidos, os seus militantes escolheram de forma livre, consciente e clara  quem desejava para continuar um trabalho iniciado em 1976.
Através de um entendimento ponderado a nível interno, a secção de Braga dos socialistas escolheu para seu candidato às próximas eleições autárquicas Vítor Sousa, vice-presidente do município bracarense e destacado militante a quem durante vários mandatos foram incumbidas diversas tarefas que ilustram bem a forma transitória como o PS na gestão municipal sabe, com superioridade, efetuar a necessária transição.
O PS com o seu candidato Vítor Sousa pretende,assim, continuar todo um trabalho que teve como principais responsáveis um conjunto de autarcas nas suas freguesias.                       
Em contexto nunca antes vivido, por inibição eleitoral de limitação de mandatos, o PS apresenta-se ao eleitorado com novas propostas, novos protagonistas mas sempre com a mesma orientação: Servir Braga e os bracarenses porque as pessoas estão acima de tudo.
Mas então tudo está perfeito? Tudo foi bem feito? Não. E disso temos consciência! Mas não esqueçamos que o poder, qualquer que ele seja, não é abstrato. As instituições são geridas por pessoas, por listas de pessoas que emanam da sociedade e as sociedades não são perfeitas. Mas o trabalho autárquico realizado em Braga, o crescimento e desenvolvimento entretanto operado na cidade quando comparado com outros concelhos regionais ou nacionais não deixa margem para dúvidas: a gestão socialista da CMB nunca andou perdida nas respostas às ambições do concelho e das suas gentes.
É pois tempo de reflexão do trabalho feito. Mas o PS tem consciência que tendo feito muito, mas que ainda há muito para fazer. Razão porque os bracarenses devem pensar bem no trabalho que foi feito, no que alcançaram de desenvolvimento e qualidade concelhia.
Vamos todos assistir a muitos candidatos da oposição ao PS dizerem que fariam melhor, que Braga cresceu mal, etc, etc,
Façam pois o vosso exame de consciência. Não julguem por excesso. Os bracarenses  podem ser tentados a seguir o caminho daquele que está perdido.




Notícias relacionadas


Scroll Up