Fotografia:
Eleições para o Comité Olímpico

Em breve teremos eleições para o Comité Olímpico de Portugal (COP), e sabemos, que pelo menos existem 3 a 4 candidatos interessados a suceder ao atual Presidente desta instituição, o Comandante Vicente Moura. Independentemente do desfecho final deste ato eleitoral, parece ser uma ideia consensual que o timoneiro desta importante organização deve promover uma rutura com o passado.

Fernando Parente
4 Jan 2013

O COP deve aproveitar esta oportunidade de mudança para participar numa nova visão e participação ativa no âmbito do desenvolvimento desportivo, ser um parceiro efetivo do movimento associativo, nomeadamente das federações, mas também dos organismos públicos que têm ação e intervenção no desporto nacional.
O COP, deve promover ativamente a criação de uma identificação coletiva e orgulho nacional em redor de objetivos partilhados, desenvolver a ideia de “equipa desportiva de Portugal”, criar confiança relacional entre pessoas e organizações, para que se potenciem os recursos. É fundamental defender uma melhoria qualitativa da atual cultura desportiva nacional e dos valores e princípios formativos e educativos que devem nortear o desporto português em geral e o desporto de alto rendimento em particular.
A qualidade do enquadramento técnico da gestão de um projeto nacional é fundamental para o sucesso dos programas no terreno e na obtenção de resultados. Devem criar-se condições concretas para o aparecimento de uma Comissão Técnica Nacional do desporto de alto rendimento, podendo ser o COP a entidade a partir da qual este grupo possa trabalhar com recursos necessários.
O Desporto de Alto rendimento deve ser encarado de um modo integrado, de consolidar as bases de recrutamento de potenciais atletas através de uma cuidada formação, orientação e seleção de praticantes e sua respetiva valorização social. O acompanhamento escolar e profissional no âmbito da chamada “carreira dupla” é fundamental para a criação de exemplos, promovendo assim a atratividade e sustentabilidade do Desporto de Alto Rendimento. Só desta forma os processos de seleção, preparação e treino dos atletas no percurso para o alto rendimento ou dos já nele integrados, se pautarão por um cada vez maior rigor e exigência, tal como pela criação das necessárias facilidades para que todos os agentes neles envolvidos participem de forma ativa e comprometida.
É imperioso, que de um ponto de vista estratégico, a formação de dirigentes e treinadores seja entendida como algo definitivamente decisivo para a evolução do desporto nacional de base e de referência. Também o acompanhamento médico e a Investigação Científica dos atletas e equipas no âmbito das Instituições de Ensino Superior e Centros de Alto Rendimento Desportivo, com a presença física e ativa dos dirigentes do COP, apresentam-se como suportes decisivos para o sucesso e resultados de nível internacional.
Mais do que eleger um novo líder ou direção do COP é urgente fomentar e colocar no terreno ideias modernas e inovadoras no âmbito do nosso sistema e ambiente desportivo, só assim poderemos adicionar valor ao nosso desporto e melhorar a nossa autoestima nacional.




Notícias relacionadas


Scroll Up