Fotografia:
O ano B

Digam o que disserem, em termos desportivos os anos ímpares fazem sempre lembrar os lados B daqueles singles que se compravam na nossa juventude: sem qualquer uma das grandes competições mundiais – Campeonato Europeu e Mundial de Futebol e Jogos Olímpicos –, nós sabemos que os artistas são os mesmos, que o ritmo está ali, mas não é bem a mesma coisa… É claro que para os verdadeiros adeptos do desporto, há sempre uma excitante competição de curling a complementar o torneio de berlinde da nossa rua, e várias outras provas nacionais e internacionais das diversas modalidades que podem bem preencher os nossos momentos de desportistas de sofá.

3 Jan 2013

Seja como for, o ano agora iniciado reúne também condições para ser um verdadeiro Ano B para três coletividades que, em tempos, e por curiosidade, disputavam entre si o título do Quarto Grande Português.

B, de Boavista
Diz o povo que não se deve voltar ao sítio onde já se foi feliz. Todavia, João Loureiro parece ter feito orelhas moucas a essa expressão comum e voltou a ser eleito presidente do Boavista.
É verdade que hoje o cenário é drasticamente distinto daquele que deixou há já alguns anos, no momento em que o Clã Loureiro interrompeu o seu controlo de décadas sobre a segunda coletividade mais representativa do Porto. Para cúmulo, quer em termos financeiros, quer em termos desportivos, o Boavistão anda longe dos seus dias de glória que lhe permitiram conquistar títulos nacionais e intrometer–se nas principais provas europeias.
Em comum, além do mítico (e renovado) Estádio do Bessa, apenas a presença de jogadores como Petit, Frechaut, Fary e do Bracarense Zé Manel, que mais prestigiam os relvados da segunda divisão nacional.

B, de Belém
Um pouco mais abaixo no território mas claramente mais acima na hierarquia das competições nacionais, o Belenenses parece estar a traçar um caminho seguro de regresso à Primeira Liga.
A dois jogos do final da primeira volta, o clube do Restelo leva já 15 pontos de avanço sobre a primeira equipa abaixo da linha de promoção (o Sporting B não entra para estas contas).
Depois de três anos em que esteve arredado dos principais palcos, o clube que foi recentemente adquirido por um grupo de acionistas liderado por Rui Pedro Soares parece ter construído um projeto desportivo sólido, com um treinador (Mitchell van Der Gaag) que está a dar excelente conta de si e com um quadro de jovens atletas que garantiu já uma presença nos quartos de final da Taça de Portugal.

B, de Braga
Com a presença bem encaminhada nas meias-finais da Taça da Liga e com um jogo crucial para disputar no próximo dia 16 em Guimarães nos quartos de final da Taça de Portugal, o Sporting Clube de Braga está novamente perto do sonho.
É certo que no campeonato são já 9 pontos que separam o clube da liderança, mas nas duas competições a eliminar o Braga pode obviamente assumir-se como um candidato potencial à conquista do título que a liderança de António Salvador vem procurando.

Dir-me-ão alguns que este pode também ser o ano de um outro clube “B”. Sim, é claro, o Barcelona vai voltar a ser campeão espanhol…




Notícias relacionadas


Scroll Up