Fotografia:
Três Sócrates e quatro Gabrielas

1 O grande filósofo grego). Penso que, por séculos e séculos, o único Sócrates de que as pessoas (ao menos, as pessoas cultas) alguma vez ouviram falar foi o notável filósofo ateniense do séc. V a. C.. Do qual nenhum escrito sobrou, mas que é conhecido através da obra do seu aluno Platão. E que, acusado de violar normas religiosas e corromper a juventude, foi condenado a beber o veneno da cicuta (em 399). É certo que, cerca de 8 séculos depois da morte deste, viveu um Bizâcio um outro Sócrates, historiador da Igreja, mas este não é conhecido do grande público.

Eduardo Tomás Alves
28 Nov 2012

2   Dr. Sócrates, o grande avançado brasileiro). O 2.º Sócrates que se tornou famoso no imaginário do mundo de língua portuguesa (e para lá dele) terá sido o célebre futebolista com esse nome, o qual também era médico. E que era irmão do benfiquista Raí. Esteve presente no Mundial de 92 (em Espanha), ao lado de Éder, Zico, Falcão e Waldir Pereira numa selecção que jogava um futebol espetacular. Mas que foi eliminada pela Itália. Eu sou dos poucos que ainda terão gravado em vídeo o jogo em que o Brasil recuperou de o-1 para 2-1 contra a URSS. O 2.º golo foi um tiro de Sócrates a passe de Éder, que bateu o grande Dassaev. Sócrates também brilhou no México 86. Mas inesperadamente, faleceu em 2012.
3  O ex-1.º ministro Sócrates). Este foi o homem que há-de ficar na história de Portugal como o grande destruidor da até agora virginal e grandiosa paisagem transmontana. O que destruiu os vales do Sabor (incluindo a Vilariça), do Tua (se esta miserável barragem não for parada) e de Almalaguês (em Coimbra). O que deixou um rastro de destruição de mais de 30 kms. ao longo das maravilhosas  penedias do planalto da Carrazeda e arredores. Que destruiu o excelente e gratuito IP4 para fazer uma impactante auto estrada . Que encheu as serras de Portugal com “parques” eólicos. Que promoveu o dito Acordo Ortográfico. Que fechou escolas, tribunais, maternidades, centros de saúde. Que amarrou por décadas a nossa Economia à vigarice das PPP, em benefício de chineses, de Motas e de Espíritos Santos. Que em 6 anos levou o País à bancarrota. E que até ao momento continua em França, feliz da vida.
4  As duas Gabrielas de Jorge Amado). Como já uma vez aqui disse, partilho a romântica honra de ter sido em criança pintado (2 vezes) pelo famoso pintor feirense António Joaquim, o mesmo que há anos retratou o grande Jorge Amado. É que Amado foi um dos escritores que mais influenciaram mundividência da minha mais recuada juventude, a par de Herculano, Eça, Camilo, Stanley, Lawrence, César, Merimée e Cervantes. O romance “G. Cravo e Canela” é construído sobre a vivência pessoal do escritor, décadas antes. E que está vertida em obras deliciosas, tais como “Terras do Sem Fim”, “Cacau” ou “Suor”. Épicas, mas matizadas por um certo esquerdismo pro-mulato, porém algo ambivalente em relação à glória e poder dos latifundiários baianos. Aí reside um dos seus encantos. Amado era filho de um industrial arruinado, de Aracaju. E eu sou  trineto de um português, Joaquim Ferreira de Castro (m. 1913), que prosperou como comerciante em Salvador da Bahia, eis aí outra razão para a nossa afinidade simbólica. “Terras do Sem Gim” é de algum modo a 1ª das “duas” Gabrielas de Amado.
5 As duas telenovelas brasileiras baseadas no livro). A 1ª versão de Gabriela (1977) foi de grande qualidade e um verdadeiro isco que enganou sobretudo o mérito da maioria das que se lhe seguiram. Em Portugal até abriram cafés com o nome de Vesúvio ou Bataclan. A 2ª  versão, menos fiel ao livro, difere muito da 1ª. Há mais crueza e pornografia. O local das filmagens é no sul, menos seco. As casas são muito mais ricas, não há ruas  poeirentas. Os rústicos coronéis mais parecem evoluídos  banqueiros. Há menos rigor étnico, pois há muitas personagens claros ou com olhos azuis (coisa rara na Bahia), uma vez que os actores são do sul do Brasil (ver os seus apelidos italianos ,polacos alemães e judeus). Contudo há mais sotaque e regionalismo no falar. O novo Toníco Bastos é um cómico genial, Melk continua bem. E a velha Doroteia também vai bem. O actor  J. Wilker já não é  Mundinho e está menos bem como cor. Jesuíno. Idem a respeito de Ary Fontoura, que piora do antigo “doutor” para o novo cor. Coriolano. A nova Jerusa é bonita mas a anterior também era. E mudam, para pior, os perfis de  Nacib, Ramiro, Jesuíno, Sinhazinha, Coriolano, Melk, Amâncio, Glorinha, Jerusa, Berto, Malvina. E fruto dos tempos, aparece “miss Pirangi”…




Notícias relacionadas


Scroll Up