Fotografia:
O cacique Seattle e o Parque da Devesa

Em 1855, o chefe de uma tribo americana escreveu uma carta ao presidente dos Estados Unidos (Francis Pierce), depois de o Governo ter demonstrado a vontade de comprar o território ocupado por aqueles índios. Já passou mais de um século e meio, mas o desabafo do ancião é agora mais atual do que nunca.

Isaura Costa
25 Nov 2012

Na missiva, o cacique Seattle, como era conhecido, dizia o seguinte: “Não se pode encontrar paz nas cidades do homem branco. Nem lugar onde se possa ouvir o desabrochar da folhagem na primavera ou o zunir das asas dos insetos. (…) E que espécie de vida é aquela em que o homem não pode ouvir a voz do corvo noturno ou a conversa dos sapos no brejo à noite?” O velho sábio afirmava ainda que “a terra não pertence ao homem; o homem pertence à terra!”
De facto, ao longo das últimas décadas, as cidades têm registado um enorme aumento da população o que tem provocado grandes problemas para o ambiente urbano, comprometendo a qualidade de vida nas cidades. A densificação populacional e o modo de vida citadino têm igualmente pervertido o bem-estar das populações, sendo responsáveis pela agudização de problemas de âmbito social e psicológico, como o stress, a depressão, entre outros.
Neste contexto, os espaços verdes são reconhecidos como elementos fundamentais para salvaguardar a dimensão ambiental e social das cidades. Mas não só, os espaços verdes representam, hoje em dia, uma mais-valia para as cidades. São motivos diferenciadores, que promovem a sua identidade e as suas qualidades para se afirmarem numa rede urbana cada vez mais competitiva.
Neste âmbito, Vila Nova de Famalicão conseguiu afirmar-se no contexto regional como uma cidade verde, preocupada com o meio ambiente e com o bem-estar dos seus habitantes.
No passado mês de setembro, a cidade famalicense inaugurou aquele que já é considerado o “pulmão da região Minho”, um verdadeiro oásis para o norte do país. Trata-se do Parque da Devesa, um corredor ecológico natural com uma área de 270 mil metros quadrados atravessado pelo rio Pelhe e localizado bem no centro da cidade.
Para além de todo o esplendor da natureza, o parque conta ainda com um anfiteatro ao ar livre, uma novidade na região.
Com uma filosofia inovadora que cruza a natureza com a educação ambiental, a ciência com o conhecimento e o lazer com a cultura, o Parque da Devesa é já um produto de atração e de afirmação para Famalicão.
É uma imagem de marca! Um cartão de visita, que convida as populações a escolherem Vila Nova de Famalicão como destino de passeio, de trabalho e claro, de vida.
Não há dúvida, que o Parque da Devesa elevou Famalicão a um patamar de excelência no que diz respeito à qualidade de vida da sua população.
Esperemos que outros sigam agora o seu exemplo!




Notícias relacionadas


Scroll Up