Fotografia:
E tudo vai por água abaixo…

À medida que vamos virando uma nova página no País e, como tal, sendo ela toda pintada de cinzento, maior é o orgulho em defender o socialismo democrático. Ao contrário de outras estruturas jovens, de cariz político, não passando de “wannabes”, tentando, sempre, tapar o sol com a peneira, querendo parecer o que não são, sem dúvida que a Juventude Socialista é uma estrutura que honra o nosso querido País como, também, as boas políticas de juventude que vão sendo criadas e praticadas em Portugal. Mais do que explicar esta estrutura, tenho o sentimento que carrego comigo de ser parte estruturante dela e da qual me orgulho incomensuravelmente.

José Miguel da Silva
18 Out 2012

Orgulho este, que provém de todas as medidas e todos os ideais que a JS defende, tais como lutar por uma garantia do crescimento económico, pela melhoria do nosso Estado Social,  pela defesa dos serviços públicos, pela diminuição das desigualdades e da pobreza.
Atualmente existe uma enorme borracha que parece querer apagar todas estas vitórias conseguidas ao longo de muitos anos e, com uma nova tinta, pintar de negro a vida de todos os portugueses. Temos presenciado um aumento de desigualdades que parece que veio para ficar! Desigualdades que têm vindo a ser combatidas pela JS ao longo destes anos, batalhando sempre ao longo da nossa história sem nunca baixar os braços.
Há batalhas que sempre foram, e sempre serão, da JS!
Foram, e são, marcas incontornáveis, tais como a emancipação jovem, não só no resultado do programa Porta 65 mas, também, na luta contra os falsos recibos verdes, contra a precariedade no emprego jovem ou contra os estágios não remunerados. Como esta, outras batalhas importantíssimas têm sido conquistadas ao longo do ciclo de vida da Juventude Socialista. Quando são alcançados factos marcantes em rumo de um País melhor, mais orgulho temos em lutar todos os dias e trabalhar por uma estrutura melhor e sobretudo mais consistente. O papel da JS é fundamental no nosso País, lutando sempre em prol dos jovens e virada totalmente para os jovens, que dia após dia veem a resposta para os seus problemas bem lá no fundo do túnel, onde para lá chegarem têm um labirinto que nenhum caminho os leva à saída. 
Como é sabido, a noção de igualdade, a conquista pelos direitos e deveres é, provavelmente, a maior extraordinária revolução da modernidade ocidental. Um país quando assim caminha tem muito a ganhar, porque irá sempre à procura de uma melhor cultura, educação e sempre com objetivo de punir atitudes discriminatórias em proveito do direito de igualdade. É preciso saber “equilibrar a balança”, para obter grandes vantagens em torno da atividade económica do futuro.
É preciso parar, pensar e refletir para realmente podermos perceber os problemas do nosso País, só aí poderemos ir de encontro aos problemas dos portugueses. Mas, com uma União Europeia virada completamente à direita a tarefa torna-se mais difícil ainda. Mais difícil é de implementar medidas de esquerda, medidas viradas para a população. O projeto europeu encontra–se, hoje, absolutamente desorientado e à mercê de políticas extremamente conservadoras. É preciso mudar! É preciso tentar remar para o outro lado, “revolucionar” o projeto europeu de modo a que não ultrajem os valores e os princípios da sociedade para que se possa avaliar e reajustar os mercados consoante as necessidades da economia!
Enquanto houver desigualdades, a JS, em conjunto com o Partido Socialista, não baixará os braços, pois daí a causa da nossa existência. Lutar sempre por um povo igual entre si, valores que dia após dia estão a ir pelo cano abaixo graças às políticas praticadas por este des(governo) discriminando, sempre, a classe média-baixa da sociedade, acabando por sair prejudicada em todos os aspectos.
É preciso lutar e mudar estas mentalidades, de modo a que todos possam ter os mesmos direitos, porque o Estado, Esse, sim, deve ser cada vez mais um garante de direitos e liberdades!




Notícias relacionadas


Scroll Up