Fotografia:
A recuperação dos verdadeiros valores humanos (28)

O materialismo demonstrou, de maneira a não deixar margem a dúvidas, que não consegue proteger e garantir o bem-estar da humanidade. As crises, quando profundamente analisadas, também servem para alertar as pessoas para os valores morais que são esquecidos nos períodos de grande prosperidade.

Artur Gonçalves Fernandes
11 Out 2012

Temos obrigação de os desenvolver e pôr em prática nas relações humanas em todos os períodos e épocas históricas. Se o homem não esquecesse a sua dimensão espiritual e fosse, por isso mesmo, mais honesto, mais justo, mais humano e nada ganancioso, o mundo seria menos desigual e as crises económicas e sociais seriam em menor número, muito mais ligeiras e menos traumatizantes.
O mundo está a tornar-se excessivamente complexo e as pessoas não se sentem felizes. Predomina a melancolia, a ira, o cinismo, a indignação e a insatisfação contínua, porque falta a educação, a justiça, a compreensão e a solidariedade humana, que deram lugar a um espírito materialista cego e desumano. Se o homem atual se preocupasse mais com o que é e fosse menos dominado pelo ter, não viveria tão ameaçado. A grande necessidade da sociedade moderna é a de apressar a formação do caráter e da educação harmoniosa, tanto em casa, como na escola e até em muitas instituições eclesiais, para poder acompanhar o progresso tecnológico e científico.
Os jovens (e não só) possuem uma cultura geral muito limitada. Basta ouvi-los nos seus diálogos informais, nos concursos e nos programas radiofónicos e televisivos, para ficarmos aterrorizados com os seus comportamentos e com os seus conhecimentos. E o mais grave é que os autores desses programas também ignoram as coisas mais elementares. Como é que, perante milhares de espectadores, são apresentadas como corretas afirmações como esta: “o cordeiro é filho da cabra e do bode”. Até os analfabetos de outrora conheciam tudo o que implicava sabedoria básica, quer em linguagem oral, quer em temas de História e Geografia. Ao que chegaram os conhecimentos gerais do homem contemporâneo! É por estas e por outras que os países estão a ser governados por tantos ignorantes e incompetentes. O mesmo se pode afirmar em relação a certas escolas ou instituições de ensino, incluindo as universidades. Que ignorância por lá campeia! Muitas pessoas apenas procuram o entretimento prazenteiro, não mostrando o mesmo interesse pela cultura e pelo enriquecimento intelectual.
Nós temos de saber escolher um conjunto de valores humanos bem definidos e viver de acordo com eles. Enquanto o ser humano puser os bens materiais acima dos valores morais, estéticos e espirituais, não tem qualquer futuro, nunca sendo capaz de alcançar uma forma de viver real e genuinamente digna. Só quando o homem se der conta da realidade e dos valores permanentes da vida é que escapa à sua própria prisão. Os jovens não aprendem o valor da disciplina, da responsabilidade, da urbanidade, da dignidade, da ética, do civismo, do gosto pelo estudo, do reconhecimento da importância do saber e do respeito pelos pais, pelos professores e pelos outros. Os estudantes de hoje têm pouca reverência e consideração pelo passado e pouca esperança pelo futuro. Tentam viver o presente o mais prazenteiramente possível. Quando se lhes lembra a nossa herança de valores, os jovens respondem com certo desinteresse, desdém, desconfiança, suspeita e até intolerância. A história humana tem-nos dado muita coisa boa e positiva. Não é certamente derrubando o que está bem feito e nos foi legado que se resolvem os problemas atuais.
Muitos pais endinheirados deram aos filhos tudo o que o dinheiro pode comprar. Só que não os ensinaram a cultivar os valores universais. Criaram os filhos num vácuo moral e num clima de niilismo. Perdeu-se a arte de formar autênticos homens. A única segurança permanente que o homem pode atingir é o sentido dos valores cívicos e morais. Ter “tudo” é tê-lo tanto por fora como por dentro. Quando o homem combina os bens materiais com os morais, a natureza humana revela-se sob o seu melhor aspecto.




Notícias relacionadas


Scroll Up