Fotografia:
A quem interessa esta sondagem no PS de Braga?

Sou militante do Partido Socialista em Braga. Embora tenha sido contactado pelas duas candidaturas que disputaram as eleições recentes para a Comissão Política Concelhia do PS, acabei por não me expor, por razões que não interessam para o caso. Claro que fiz a minha opção e votei, conforme era meu direito e dever, e tenho acompanhado por terceiros o que se passa no partido, ou melhor, o que se não passa.

António Rebelo
9 Out 2012

Refiro-me, concretamente, à escolha do candidato do PS à Câmara Municipal de Braga. E, pelo que me disseram então vários camaradas, na última reunião da Comissão Política, o presidente recentemente eleito assumiu que, no que a isso respeita, já tinha falado com as várias instâncias do partido, designadamente a Distrital e a Direcção Nacional, e que iriam ser feitas sondagens para ver quais dos candidatos interessados estava em melhores condições para assumir a qualidade de candidato do PS à Câmara Municipal nas eleições de Outubro próximo.
Disse, então, o presidente da Concelhia que convocaria para meados de Setembro nova reunião da Comissão Política, o que não fez, reunião essa destinada a dar conta «dos termos em que iria ser feita a sondagem» a encomendar pelo PS de Braga.
Surgem-me, entretanto, um conjunto de dúvidas que coloco publicamente porque, até agora, dentro do partido, ninguém me soube responder. Dei-me conta, há dias, de que andavam na rua quatro meninas, alegadamente contactadas para o efeito pelo filho mais velho do presidente da Concelhia, com uma urna na mão, a perguntar a alguns pessoas, entre elas um familiar meu, quem é que escolhiam para cabeça de lista do PS à Câmara de Braga.
E sugeriam então, para meu espanto, cinco nomes: António Braga, Nuno Alpoim, Hugo Pires, Victor de Sousa e um senhor que se chama José Mendes.
Diziam as meninas que aquele trabalho era pago pelo PS de Braga.
Em primeiro lugar: por que é que o PS de Braga está a fazer uma sondagem sem ter apresentado à Comissão Política os tais «termos» em que iria ser feita, ao arrepio do que lhes foi prometido? Por que é que estão outra vez a fazer as coisas às escondidas? De quem têm medo? Que validade poderia ter uma sondagem assim? A quem interessaria tal trapalhada?
Segundo: por que é que aparece ali na tal sondagem (eu ainda acredito ter sido feita e paga por alguém que não tem nada a ver com o meu partido) o nome do presidente da Concelhia que, como é público, não tem o mínimo de condições, éticas e morais, para ser candidato à Câmara, depois de ainda não terem sido desmentidas pelos tribunais as suspeitas que deram origem às investigações feitas pela Judiciária aos TUB, de que foi administrador?
Terceiro: por que é que aparece ali nesta sondagem o nome desconhecido do senhor José Mendes? Sou franco, não sabia quem era. Mas depois de ter perguntado a alguns camaradas, disseram-me que não é militante do PS, que faz parte da reitoria da Universidade e que tem relações de amizade com os genros, ou um dos genros, do engenheiro Mesquita Machado, o senhor Presidente da Câmara Municipal. Disseram-me também que já há muito tempo que se anda a oferecer tanto ao PS como ao PSD, para ser candidato. Até me falaram em entrevistas que publicou a dizer isso mesmo. Ora, eu pergunto: o que faz nesta sondagem, mesmo que fosse séria, o nome deste senhor como independente? Será que o PS de Braga não tem políticos suficientemente bons para serem candidatos à Câmara? Se eu, que sou militante do partido, vivi sempre em Braga e até costumo estar mais ou menos informado sobre a política que cá se passa, não conheço esse independente, quem é que iria votar nele como candidato do PS? Depois outra pergunta: a quem interessa que esse independente pudesse ser o candidato do partido? Lá por ser amigo próximo dos genros do Sr. Engenheiro Mesquita Machado ou os ter ajudado nalgum negócio, isso já faz dele um bom candidato para ir numa sondagem? Não percebo nada disto.
Claro que ninguém me vai responder a estas perguntas, mas pelo menos ficam a saber que eu tenho estas dúvidas todas. E que, com o lugar de presidente da Câmara de Braga, a terceira cidade do país, não se pode brincar assim. Eu cá por mim sei bem quem escolhia e quando puder dizê-lo vou falar bem alto.




Notícias relacionadas


Scroll Up