Fotografia:
In memoriam do P. José Luís Domingues Ferreira

Eterna saudade! Com inquebrantável fé num Deus imortal, um dia sonhaste transformar o mundo num só dia, porque sentias urgência necessária. Senhor de grandes talentos, como Paulo e António Vieira, tu foste um épico e herói da pena, dons recebidos de Deus!

Hernâni Magalhães Costa
26 Ago 2012

Eloquente e corajoso, verdadeiro apaixonado pelo Criador, também tu quiseste libertar os humildes e oprimidos, pela palavra e pelo exemplo.
Foste professor e poeta. Também foste pintor. Assim, na tela da neblina da manhã, pintaste um sol em “De Colores”, resplandecente, abrasador e criador, que fortalecia os corações dos que sofrem fome e sede de justiça.
Amado por todos, só querias servir e não ser servido; estimar e não ser estimado. Só pensavas na maneira de fazer felizes os outros que te rodeavam!
Já do alto da serra da Cabreira, contemplavas o sol e as estelas e, descendo, então admiravas os campos de lírios e as espigas doiradas das searas.
Sacerdote exemplar e zeloso, o Criador deu-te engenho e arte. Tornaste-te também pintor. Nas janelas do teu quarto, pintaste pássaros cantores, de penas coloridas. Nas calçadas dos caminhos, pintaste canteiros de flores que, com o aroma e fragrância das suas pétalas, te lembravam a beleza de um Deus grande e misericordioso, que serenamente te contemplava também.
Nas fraldas de serra, para onde ias procurar o Salvador, pintaste rios com cataratas de águas cristalinas, que mais pareciam fios de prata fina, fugindo para a albufeira do Ermal.
Depois, pintaste os montes e campos de Salamonde e Louredo, onde lavradeiras e lavradores trabalhavam rudemente, de sol a sol, para ganharem o sustento.
Foi então que o Senhor da messe te trouxe para Pico de Regalados, e cá, de Bíblia na mão, criaste a vida nova, de fé e solidariedade.
Do conservatório de música trouxeste harmonia, e logo pintaste um coro, para alegrar e participar nas Eucaristias dominicais.
Pintaste o acordeão, a viola, o cavaquinho, o bombo e os ferrinhos.
Com as crianças da catequeses pintaste um Rancho Infantil e quem deste cor, alegria e afeto.
Daí em diante, pregador, coro e rancho percorreram todo o Alto Minho, levando a fé e a alegria das danças e cantares das gentes de Regalados.
Assim, todos nós recebemos, com emoção, das crianças, belas e simples como rosas em botão, lições de mansidão e carinho, de amor e justiça!
Pastor de almas, também foste o “bom samaritano”. Praticaste a partilha e saciaste a fome e a sede dos que mais necessitavam!
Criaste amigos só para os servir! E as tuas portas permaneciam sempre abertas para todos receber e ouvir. Foste bom conselheiro e bom amigo!
Combateste o bom combate e levaste a fé de Cristo a todos que ouviram!
Lá no Etéreo, onde repousas, intercede por nós, esperando pelas ovelhas do teu rebanho. Também tu não perdeste nenhuma!
Deixaste-nos a chorar amargurados! Com pranto nosso ficaram regados os cravos  da Eterna Saudade!




Notícias relacionadas


Scroll Up